Fidelius RPG
Seja bem vindo(a) ao FIDELIUS RPG!!! Por favor se cadastre e em um prazo de UMA semana no máximo você será liberado(a) e fará parte do segredo.

Fidelius RPG

Hogwarts sempre ajudará aqueles que a ela recorrerem!
 
FAQInícioPortalRegistrar-seConectar-se
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Direitos Autorais
Calendário ON



Fundadores



Protego

Compartilhe | 
 

 Castelo da família Manderley

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Helena Manderley
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 36
Data de inscrição : 14/03/2012

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Castelo da família Manderley   Sab Jul 07, 2012 1:21 pm




Lord Richard Aincourt Manderley III #


Lady Elisabeth Bersteel Manderley #


first son and heir: Devin Aincourt Manderley #


second son: Helena Manderley #


Última edição por Helena Manderley em Qui Dez 06, 2012 9:29 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Helena Manderley
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 36
Data de inscrição : 14/03/2012

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: Castelo da família Manderley   Qui Dez 06, 2012 8:08 pm



- RP FECHADA -


24 de Dezembro de 1805, 21h35



Última edição por Helena Manderley em Sex Dez 07, 2012 12:54 pm, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Helena Manderley
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 36
Data de inscrição : 14/03/2012

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: Castelo da família Manderley   Qui Dez 06, 2012 9:10 pm







Ajeitava o meu vestido branco, justo na cinta sem realmente dar atenção a isso. Meus olhos olhavam aqui e ali, mas sem se prenderem num lugar especifico. Eu não gostava destas festas, eram aborrecidas e a música entediante! E para piorar não havia pessoas interessantes com quem eu pudesse falar, e fofocas era o que mais rondava a minha sala de bailes. Suspirei e lancei um olhar desgostoso a Brandon que se encontrava no outro lado da sala com a mãe e ele apenas deu um meio sorriso, parecendo se divertir com a minha desgraça. Bufei de leve e revirei um pouco os olhos e quase podia ouvir a voz dele do meu lado dizendo para ter calma. Não podíamos passar um natal, só eu e ele? Ou só nossas famílias, mas como sempre isso era algo que não acontecia. Parecia que toda a alta sociedade estava em minha casa.

Peguei num dos copos que estavam na mesa e nem vi o que era dando um gole e fazendo uma careta depois. Vinho, eu odeio vinho. – Você está querendo se embebedar e tornar essa festa mais interessante, maninha? – Devin apareceu do meu lado com aquele sorriso safado no rosto e os olhos azuis brilhando. Ah, como eu queria que a minha vida fosse simples como a dele. Eu podia já imaginar quantos copos ele tinha bebido para ter aquele sorriso no rosto dele – Não enche, Devin – resmunguei e bebi o resto do líquido que estava no copo, sentindo o meu corpo aquecer. Brandon estava olhando para mim e eu sorri um pouco. Ele não gostava que eu bebesse. Mas ele estava aqui para me ajudar se fosse preciso. – Eu só não entendo como mamãe pode parecer tão feliz e fingir que está tudo bem – falei e gemi baixinho, olhando para meus pais que se encontravam perto, conversando com alguns convidados. – Não há nada que nós possamos fazer, pequena. Ela sabe que se precisar nós estamos aqui. – Devin me abraçou e eu suspirei, me encostando contra ele. Ele era o que todos os irmãos deviam ser. Protector e preocupado comigo, sempre zelando por mim, e eu adorava isso em Devin, mesmo que as vezes fosse excessivo demais. Ele estava sempre ameaçando Bran e eu não gostava disso.

Ficamos um pouco quietos apenas vendo o movimento do baile e vi Bran começar a se despedir de algumas pessoas e vir na nossa direcção. – Então, qual das donzelas vai ser esta noite? – ri baixinho olhando para as moças que lançavam olhares para o meu irmão. Ele era bonito, famoso por ser jogador de Quadribol e o herdeiro da minha familia e sabia muito bem como aproveitar a vida. Eu sabia como ele estava com uma menina a cada semana, já que ele me contava tudo. Vi o sorriso dele aumentar. – Nenhuma donzela desta vez, eu estou interessado em algo mais maduro. – fiz uma careta e me virei para Bran, dando um beijo no seu rosto quando ele me puxou para seus braços, me tirando do meu irmão. Devin o cumprimentou com um aceno e depois continuou a olhar em volta. Bran perguntou quem era essa pessoa madura que Devin tinha em olho e ele apenas riu. – Aquela de vestido vermelho, cunhadinho. Agora, se divirtam e têm cuidado com a minha irmãzinha! – e piscando o olho o moreno saiu em direcção do seu alvo. – Ela não é casada? – sussurrei para Bran e ele riu. Meu rosto estava corado de vergonha. Meu irmão não tinha noção mesmo! Se alguém descobrisse!

Suspirei e me virei totalmente para o loiro, sentindo os braços dele me envolverem mais num abraço. – O que você tanto conversava com a senhora Felícia e sua filha? – fiz um leve bico. A moça era bonita e eu não gostava nada dos olhares sedutores que mandava para o meu namorado. – Eu não estou com ciúmes. – fiz uma careta e pousei o rosto no ombro dele olhando para as pessoas que dançavam. – Oh eu não gosto dos sorrisinhos que você dá para ela – ele riu de mim e me deu um selinho, me tranquilizando. – Estou cansada de estar aqui, é sempre a mesma coisa. – Bran colocou os dedos no meu queixo e subiu o meu rosto para me olhar, e deu um beijo na minha testa. – Eu te amo, sabia? – sussurrei e sorri boba. Sim, pelo menos estávamos juntos. Levantei uma mão e acariciei os cabelos loiros dele, não ligando para os olhares e comentários que faziam sobre nós. Eramos comprometidos e de um ano para cá, nosso relacionamento estava diferente. E as pessoas comentavam isso. Diziam que eu finalmente tinha aceite aquele casamento que eu tanto odiava. O que não era totalmente errado, mas eu não tinha apenas aceitado, como me tinha apaixonado pelo meu noivo!

-Você não se incomoda com o que as pessoas falam? – ele sorriu para mim e falou. Fechei os olhos e ri. Bran sempre me deixava mais calma e aquela festa não parecia tão aborrecida assim. – Estou melhor por estar do seu lado – comentei e peguei em outro copo, dando um gole naquele vinho estranho. – Não precisa se preocupar, eu estou com você e sei que você cuida de mim – sussurrei e sorri para ele, sentindo um pouco o efeito do álcool. Não estava acostumada a beber. – Vamos dançar? – eu me sentia um pouco mais leve! Bran pegou na minha mão e deu um beijo lento nas costas dela e eu sorri boba. – És a pessoa mais importante para mim – sorri e deixei que ele me conduzisse para o meio das pessoas que dançavam. Deixei ele me guiar e apenas fechei os olhos, me sentindo segura. – Obrigada por tudo, Bran, por ser tudo para mim e sempre estar comigo. Você é o melhor presente da minha vida – rocei um pouco os lábios nos dele. Não podíamos nos beijar como estávamos acostumados em Hogwarts ou quando estamos sozinhos, apenas podíamos dar meros selinhos e eu sentia falta de sentir todo o calor que sentia com ele. – Queria passar esse natal, só eu e você. – sorri boba e deixei meu rosto repousar no peito dele, mantendo a dança e esquecendo o resto que nos rodeava. Não importava as fofocas ou a maneira como não era algo certo de se fazer. Era apenas eu e ele.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Brandon Leobald
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 68
Data de inscrição : 14/03/2012

Ficha do personagem
Agilidade: 5
Ataque: 2
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: Castelo da família Manderley   Sab Dez 08, 2012 12:03 pm



Era sempre tradição passarem as festas de final de ano na casa de alguma das tradicionais famílias da região, mas a partir daquele Brandon iria para a casa da prometida. Tinham sido convidados, todos os familiares, e o rapaz até havia conseguido um lugar para seu elfo doméstico, bem no fim ele acabou indo, mesmo que tenha que trabalhar, mas pelo menos não se sentiria sozinho.

Enquanto seus pais se divertiam na conversa de outro casal da região dos Manderley, Brandon se afastou no seu terno negro, com a gravata de borboleta vermelha e o brasão de sua família, pendurado como broche na sua veste, apanhou uma taça de champanhe e acompanhou com os olhos todos os presentes, seu irmão Willem corria para todo o lado, estava tão mudado desde que ingressa a Hogwarts, parecia mais vivo do que nunca, e mais arteiro, puxou aquilo do irmão e os professores já começavam a reclamar dele. Bebericou um pouco do champanhe sentindo o gosto do doce em seus lábios, era de maçã verde, aquele azedo da maçã o fez sorrir para o elfo doméstico que passou a sua frente e o estudava.

- BRANDON! – ouviu seu nome ser gritado logo que duas damas adentraram o salão dos Manderley. Ele conhecia a voz e pelo menos tentava imaginar que ela não poderia estar ali, nem ela e nem a filha dela. Abriu um sorriso e disfarçou, ficando surpreso. – Senhora Felícia! – sorriu mais e assim que ela lhe esticou a mão, o rapaz foi cortes e beijou o dorso como havia aprendido desde pequeno. – Que surpresa estar aqui... Ouvi dizer que as damas de Beauxbatons sempre ficam no castelo para as festas e que suas famílias as acompanham. – comentou desviando o olhar para a morena ao seu lado, ela não era nem bonita e nem feia. Tinha os dentes dianteiros um pouco grande, e o rosto sem queixo, mas seus olhos num límpido azul o encantavam, eram iguais aos da mãe. Brandon fez o mesmo com a moça e que se corou após o ato.

Felícia Lokwood era uma mulher solteirona e que em todas as festas tentava arranjar um bom casamento para sua filha, que já estava no último ano da Escola de Magia e Bruxaria da França, onde só apenas garotas participavam. Isso prejudicou um pouco para a garota, ela deveria estudar em Hogwarts, pelos teria contatos com meninos e poderia se apaixonar por algum, pensou bebericando um pouco mais do seu champanhe e desviando o olhar para sua dama, aquela morena linda de branco que estava sentada do outro lado do salão conversando com o irmão mais velho, se cunhado Devin.

Conversou com as damas por quase quinze minutos até conseguir escapar das garras das duas e se atirar para o meio do salão e indo em direção a única dama que o conquistava, sempre. Deixou a taça de champanhe em uma das mesas, ainda tinha liquido, mas ele nunca fora de beber e sempre preferia apenas o social. Aproveitou para apanhar o ultimo desfecho da conversa dos irmãos Manderley e não pode deixar de rir. Ele não muda

- E quem seria essa pessoa madura? – perguntou ao cunhado, que de todos os Manderley, depois de Helena, era o que tinha mais proximidade. Será que é a Senhora Felícia? Mas não era, era uma outra mulher que estava conversando com as duas damas que Brandon havia deixando para trás e então se virou rindo para os dois. – Cuidado para você não acabar sendo fisgado pela Locwood! – o preveniu, antes de sair e deixar o loiro com a morena a sós. Sentou-se no lugar vazio ao lado dela e a abraçou.

- Está com ciúmes? – indagou e deu uma leve risada, não tinha o porquê de ela ter ciúmes, mas como ele mesmo suspeitava aquela mulher sempre tentava jogar a filha para cima dele, até pensou em sugerir que ela fosse para alguma escola mista assim não precisaria atirar ninguém pra cima de ninguém, mas como não cabia a ele avisar apenas sorriu para a amada e sentiu a cabeça dela pousar em seu ombro. Está com ciúmes, pensou e sorriu sem mostrar os dentes vendo como Helena reclamava do que tinha acontecido antes. – Você deveria andar por aí e conversar com as pessoas... – sugeriu, e ela o olhou diferente. – Não, digo... Só precisa apenas colocar uma máscara e tentar fazer uma social. – tentou se explicar. – Eu também não gosto, mas tento manter algo formal, pelos meus pais... Eles me observam e depois ficam me julgando, mas eu não ligo muito para isso, é sempre bom ter o que conversa com todos. Por mais que o assunto seja entediante. – sorriu e levantou o queixo dela e olhou para os olhos dela e deu um beijo em sua testa. – Você podia me ajudar na próxima conversa? – e sorriu fazendo um leve caricia no rosto dela.

- Por que me preocuparia com os outros? – sorriu. – Me preocupo só com você e quero que esteja bem... – Brandon viu a garota beber o vinho, ele não chegou a experimentar, e nem tinha interesse. Apenas sorriu e voltou a olhar para o salão, muitos ainda chegavam, e os anfitriões estavam conversando agora com seus pais. Sentiu algo lhe descer pela garganta, mas voltou a atenção para a sua noiva. E corou um pouco com o convite, ele deveria fazer o convite, e naquele momento não tinha tanto interesse em ir dançar, mas talvez era a hora certa para tal coisa. As músicas natalinas já haviam deixado o ambiente e logo mais Helena teria que tocar no piano, ou então seria ele desta vez. Deu um beijo no dorso da mão dela e sorriu. – Sempre é uma honra dançar ao seu lado! – riu e deu um beijo na sua bochecha, a guiando para o salão.

Agora eles tinham realmente a atenção de todos, mas já estava acostumado. Sempre que os dois prometidos dançavam juntos tinham a atenção de todos. Lembrou-se da primeira vez que dançou com ela, e a pobrezinha reclamou que ele pisava em seu pé e ainda disse que tinha dois pés esquerdos, ele não era um bom dançarino, e isso era verdade e sua mãe o ensinou tudo, desde a dança típica da região, como aos clássicos mundiais. E agora ele podia dançar despreocupado. Até lembrou de uma vez quando os dois foram dançar e ele estava cansada, naquela época ainda não se entendiam, mas foi um dos pedidos mais fofos que ela havia lhe pedido, e ele como cavaleiro e amante, deixou que a garota ficasse com os pés descalços pisando no seu, e ele a guiou, e aquilo tinha sido o mais próximo que havia conseguido antes.

- Eu te amo muito, Lena. – sussurrou no ouvido dela e sentiu ela pousar a cabeça em seu peito, e os dois ficaram dançando pelo local, sendo acompanhado por outros aos poucos, seu irmão mais novo dançou com uma menina de mesma idade, que se não tivesse se enganado era de Hogwarts, Devin também, e justamente com a dama de vermelho. Sorriu e corou mais quando ela disse lhe disse que era o maior presente dela, e ele lembrou que tinha um presente de natal para ela.

- E vamos ficar juntos... – sussurrou e foi girando com ela para fora da pista e chegou até uma janela que tinha na lateral, o salão ficava no térreo e ele deu uma leve batida na janela e ela se abriu, dando espaço suficiente pra eles fugirem. Pegou ele no colo e a ajudou a sair pela janela. Ela caiu na moita que fazia a decoração em torno do castelo Manderley, e Brandon saiu em seguida se agachando para ninguém ver eles, fechou a janela e riu um pouco para Helena. E deu um beijo mais demorado, um beijo que ele tinha tanta vontade de dar e não podia por causa das pessoas. Sentiu ela lhe grudar e lhe arranhar um pouco no pescoço, e o beijo a ficar mais caloroso, e lhe tirar o fôlego, era um beijo intenso e com fome.

Seus lábios queimavam, mas ele não ligava, a garota até limpou um pouco do batom dela que havia ficado em seus lábios e riu dando um leve tapa em seu braço. – Eu faço tudo que quer... Mas agora eu já não sei para onde irmos... – sorriu. – Vai ter que me guiar, Lena. Estou em suas mãos. – sorriu maliciosamente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Castelo da família Manderley   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Castelo da família Manderley
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [pedido] tileset castelo, masmorra, estabelecimento congelado
» Família Donati
» Família Salvatore
» Família Miller
» Família Wittelsbach

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fidelius RPG :: POSTS 6º ANO :: Residência - Mundo Bruxo e Trouxa-
Ir para: