Fidelius RPG
Seja bem vindo(a) ao FIDELIUS RPG!!! Por favor se cadastre e em um prazo de UMA semana no máximo você será liberado(a) e fará parte do segredo.

Fidelius RPG

Hogwarts sempre ajudará aqueles que a ela recorrerem!
 
FAQInícioPortalRegistrar-seConectar-se
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Direitos Autorais
Calendário ON

Fundadores




Protego

Compartilhe | 
 

 2 de Agosto de 1805 - noite

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Bridget McNach
Professor(a)
Professor(a)
avatar

Mensagens : 564
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 14
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: 2 de Agosto de 1805 - noite   Sex Jul 27, 2012 1:13 pm

2 de Agosto de 1805
Darius & Bridget
Noite - 21 horas




__________________________________________________


Meu Bóreas - Meu Falcão peregrino:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Bridget McNach
Professor(a)
Professor(a)
avatar

Mensagens : 564
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 14
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: 2 de Agosto de 1805 - noite   Sex Jul 27, 2012 1:36 pm

Olhou os elfos correndo de um lado para o outro e suspirou. Novamente seu Hipogrifo e Sunny não davam certo. Após esta querer jogar com ele qualquer coisa que não entendeu e o mesmo jogar a bola de couro e a própria Sunny dentro da fonte. Massageou a tempora, desistindo de entender aquilo e indo se vestir. Rindo ao ver a menina correndo molhada, sendo perseguida pelos elfos. E trocou apenas um olhar com Drake sorrindo. Decidindo não se meter naquilo. Olhou a carta resposta de Darius e sorriu de novo ao ver os comentários sobre a vida com Emilly. Imaginou como deveria estar sendo essa aventura pra ele e jogou a capa sobre os ombros.

-Mantenham tudo em ordem... -Pediu aos elfos de forma carinhosa, passando a mão na cabeça deles e aparatou. Ao chegar no local combinado uma velha taberna em Londres, as ruas mais desertas, e a chuva fina que já caia. Nunca realmente compreendeu como o tempo podia mudar tão rápido naquele local.

Andou pelo beco saindo perto de uma fonte, e avistando enfim o local, entrando neste e agradecendo por estar mais quente ali. Movendo a varinha e se secando, avistando a cabeça de Darius ao fundo e este parecia dialogar com o cálice que segurava. Esperava que o mesmo não tivesse enlouquecido em tão pouco tempo sendo pai. Não entendia o motivo de se sentir um pouco ansiosa, mas com certeza se sua Ama a visse assim diria apenas: Isso é falta de marido. Afinal tudo pra Molly se resumia a isso e a pessoa estar magra demais. E quase riu se lembrando da torta salgada e doce que ela levou no outro final de semana, e sua expressão de desgosto ao ver que ela só comeu um pedaço de cada.

–Desculpe o atraso, tive de resgatar Sunny de dentro da fonte...-Comentou rindo da reação dele. E expressão. -Se você tem uma fonte perto de sua casa, sugiro que ponha proteção... Emilly parece ser um pouco parecida com a Sunny.-Brincou tirando a capa se sentando. Pedindo um vinho tinto, torradas e queijo. -Estou bem, tenho me ocupado com meu novo mascote, ah você o conhecerá em Hogwarts, ele é cativante. –Falei sorrindo ao me lembrar da bela criatura.

-E você meu caro, como vai seu momento paternal? Já se acostumou? Alias adotei a essência que me mandou... E como retribuição... -Falei tirando uma do bolso e aumentando, um pequeno vidrinho com essência amadeirada. -O que? Não posso saber fazer poções, essências, Sr do caldeirão?-Questionou arqueando a sobrancelha pra ele. Sentindo que ele usava a essência que tinha ajudado Emilly a escolher e dar pra ele. Mas preferiu não comentar sobre isso.


__________________________________________________


Meu Bóreas - Meu Falcão peregrino:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Darius Mortymer
Professor(a)
Professor(a)
avatar

Mensagens : 380
Data de inscrição : 03/10/2010
Idade : 33

Ficha do personagem
Agilidade: 7
Ataque: 8
Defesa: 5

MensagemAssunto: Re: 2 de Agosto de 1805 - noite   Sab Jul 28, 2012 8:43 pm

Lucky
I'm lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again

--------------------------------

A porta abriu e o meu maxilar subitamente pareceu se soltar do encaixe com o restante do crânio. Em resposta a essa ação, a sobrancelha direita se arqueou, sobressaltada pela reação de estranheza. Definitivamente esse era o lugar mais estranho para marcar um encontro... Mas quando falamos de Bridget McNach, nada parece lógico. Me esgueirei pela porta da taberna e me acomodei em uma mesa no fundo do bar, quando vi que ela ainda não chegara.

- Um copo de... Hey você! – sim, isso foi uma reação de espanto novamente, quase caindo da cadeira, quando um elfo doméstico que parecia usar chifres de touro sobre a cabeça veio me atender. – Só uma garrafa de hidromel por favor... Eh... Obrigado.

Era aquele o bar que Bridget marcara, eu tinha certeza. Não me enganara de endereço nem nada... Mas que era um lugar meio estranho, isso era. Olhei em volta e reparei que estava vazio. Apenas alguns poucos bruxos nas mesas ao redor. A maioria eram casais. E também haviam velas em cima de algumas mesas, o que me deixava estranhamente sem jeito... Reparei nas vestes que usavam, e decididamente eu era o mais “ajeitado” naquele lugar. Bem que Emily me dissera, logo após eu falar para ela não me esperar acordada, para ir arrumado e ficar calmo para as “borboletas no estômago” não me incomodarem.

Agradeci quando o elfo chifrudo voltou a minha mesa trazendo um cálice com gelo e a garrafa de hidromel que eu pedira. Me servi e antes de bebê-la cheirei com cuidado.

- Conservado em barril de macieira... Levemente cítrico... – cheirei com cuidado a bebida, e a olhei de longe contra a luz. – Transparente, frio e borbulhante. – acreditem, depois que você é envenenado tomando hidromel, você meio que aprende por hábito a beber seja lá o que te ofereçam, vão por mim.

Mas fui surpreendido por Bridget, que me pegara em plena apreciação e avaliação da bebida. Me levantei de imediato, quase derrubando a mesa inteira e a taça que segurava. Fiquei sem ar por uns momentos até recuperar a capacidade de falar... Ela estava... UAU! Levei a mão ao cabelo e arrumei, me achando a coisa mais bagunçada do planeta.

- Nossa! Você está linda... – comentei antes de refletir o que falava. E acho que o fato de eu ter corado mostra como foi inesperado até para mim. – Sem problemas, você não está atrasada. – ri da desculpa dela, puxei a cadeira para que ela se sentasse. – Sou um cavalheiro, Srta. McNach. Sei como tratar uma dama. – brinquei respondendo ao elogio dela e voltei ao meu lugar. – Não temos fontes graças a Deus, mas outro dia tive que socorrer Emily do nosso caldeirão. Ele já tinha engolido ela até a cintura quando cheguei... – ri ao lembrar da situação. – Também acho que as duas possuem a mesma propensão a acidentes. – o elfo chifrudo novamente apareceu e Bridget fez o seu pedido. – Mas no fim das contas, estamos conseguindo sobreviver na nova casa... E você como tem passado?

Escutei a resposta dela e meus lábio se transformaram involuntariamente em um sorriso quando ela falou em novos mascotes. Depois de um falcão, qual seria a próxima criatura que ela teria? Um barrete vermelho? E acreditem, ela é bem capaz disso... Mesmo que você não imagine quando olha e enxerga esse cabelo vermelho bonito, essa face sensível, os lábios frágeis, os olhos tímidos com sombra, e o corpo sinuoso e atraente... e... FOCO DARIUS!

- Oi? Ah sim, pra ser sincero, nunca me imaginei como pai, mas sempre tive vontade de ser. É estranho porque eu não sei como lidar ainda com algumas coisas, não vi ela crescendo sabe? Mas aos poucos estamos nos entendendo e nos conhecendo. Imagino que com Eibhlín deva ter sido algo assim no começo... – argumentei, tomando um gole do cálice de hidromel. – Jura que gostou? Eu imaginei que lavanda fosse o seu perfume... – fiquei sem jeito ao comentar o presente que enviara para ela. – Ah! HAHA! Não precisava, eu podia ter feito... – respondi sem pensar quanto recebi a essência amadeirada. – Claro que pode ué, mas eu sempre imaginei que você lidasse melhor combatendo criaturas sangrentas... O cara do caldeirão sou eu. Haha!

Abri o presente, era realmente muito bom. Pra ser sincero, era exatamento o que eu queria, quando fui outro dia com Emily a uma venda de perfumes... Tomei um gole de hidromel.

- Você nunca me contou que conhecia lugares tão alternativos. Mas gostei desse. – ri da expressão dela. – Como você achou esse lugar tão medieval? – disse em tom brincalhão. Porque aquele lugar podia se parecer com qualquer coisa, menos com um restaurante... Tinha cabeças de animais empalhados nas paredes, armaduras em suportes e até uns escudos espalhados próximo a candelabros – Confesso que fiquei bastante impressionado com o convite. Mas na próxima vez, eu que convido e vamos a um bistrô que eu conheço. – a expressão dela se transformou em um sorriso. – Se bem que depois do Baile de inverno, não duvido mais do que você é capaz... Me surpreende a cada novo convite!

Bem, pra ser sincero aquele baile foi uma ocasião muito... Diferente do que imaginara a princípio. Eu fora convidado por ela, o que já era estranho, já que homens geralmente é quem chamam as mulheres para sair. No baile ela (sóbria!) se aproveitou da minha inocência e me apalpou enquanto dançávamos (sim, eu percebi!), e depois passamos o resto da noite conversando e andando pelo jardim. Mas o fato mais estranho era que Bridget era ex-mulher do chefe. Isso deixava a situação bem mais inusitada. Mas o curioso é que foi legal estar com ela, era uma presença agradável e que me atraía. Escutei o que ela falava atentamente, e ri da reação dela sobre o baile de inverno.

- Hey, elfo! – chamei, levantando a mão. – Os menus, por favor? – e rapidamente estávamos pedindo o prato principal. – Eu acho vou querer esse “Farra do Rei Empalado”. – Bridget riu do prato que eu escolhi. – Por que você está rindo? Eu gosto de carne de javali! – ela pediu o dela em seguida, e foi a minha vez de rir. – Salada? Com treze tipos de carne diferente, você me pede alface... Só você Bridget! – fazia tanto tempo que eu saíra para jantar com alguém, mas essa noite estava sendo divertida. – Mas eu vou comer esses matinhos que você gosta, só que na forma de um bife mal passado de carne suína! – o elfo chifrudo se afastou rindo.

E nas palavras seguintes dela, eu senti um toque da personalidade de Emily. Entupir artérias... Comer carne demais faz mal... Era tão estranho alguém se preocupar assim. Mas se ela falasse para eu deixar o bife de javali pra lá e comer salada com ela, eu acho que seria capaz de aceitar, por incrível que pareça e sem nenhuma razão aparente.

- Você disse que queria conversar algo sério comigo na carta... Fiquei um pouco preocupado. É algo que eu possa ajudar? – coloquei as mão sobre a mesa e segurei a mão livre dela, antes que a coragem fugisse de vez ou eu pensasse muito antes de agir. Percebi que ela tremeu um pouco sem jeito. – Ah, esqueci de uma coisa! – apanhei uma rosa na cadeira ao meu lado... – Não sei se é válido para a ocasião, mas trouxe para você. – o carinha da porta do restaurante que estava vendendo disse que dar flores para mulheres era legal, ok! Confesso! Mas realmente devia ser, porque o riso e as bochechas vermelhas dela diziam isso. – Então, o que você ia dizer mesmo? – perguntei novamente, segurando a mão dela.


--------------------------------

NOTES Ficou interessante o resultado... haha Darius tem mais jeito pra romance que o Bastian. xD Fiz a música ouvindo essa música: Lucky

__________________________________________________



By Eyma


color=indigo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Bridget McNach
Professor(a)
Professor(a)
avatar

Mensagens : 564
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 14
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: 2 de Agosto de 1805 - noite   Qui Ago 16, 2012 9:33 pm

"... Won't you save me?
I don't wanna to be
Just drifting through the sea of life
...."


Não era muito de sair, na verdade sempre preferiu ficar em casa, apenas a ler. Mas fora convencida a sair naquela noite. Olhou ao redor enquanto entrava no pub e pra sua surpresa a decoração no local estava um pouco mudada desde a ultima vez que ali esteve, e não conseguiu evitar de rir ao ver Darius que parecia conversar com a bebida. Mas o que não esperou, realmente foi ouvir o elogio vindo do professor, a deixando rubra e riu sem jeito.

-Obrigada Darius, você também esta bonito.. Digo bem vestido e isso. -Falou rapidamente gesticulando sem jeito. Se sentando na cadeira que ele puxou. -Nunca duvidei disso Sr. Mestre de poções. -Respondeu sorrindo. -Olha eu lamento, eu não sabia que haviam mudado a decoração... Na verdade a ultima vez que vim aqui, tinha até um vendedor fantástico de criaturas exóticas, comprei com ele minha primeira Kappa. -Falou, e riu da expressão do homem a sua frente.

-Eu acho que Sunny e Emilly, são bem.... complicadas. Elas conseguem o caos apenas com uma colher de chocolate, acredite em mim. -Murmurou se lembrando de Sunny duelando com um brigadeiro de panela e este de alguma forma ter parado no teto e caído em cima de um dos elfos, queimando a orelha desses pra desespero de todos e risadas dela. Ao ver a situação de Sunny tentando cuidar do elfo e este tentando fugir dela.

Não faça essa expressão professor. Assuma que está adorando a paternidade... Não sei, mas sempre achei você com cara de papai Urso, como o Sr Thomas. Quero ver quando sua menina começar a namorar...-Falou rindo dele. E bebeu um gole de vinho calmamente. Olhando ao redor após dar a ele o presente. Esperando este abrir e sorrindo ao ver que ele havia gostado de tal. Nunca pensou em fazer realmente amizades dentro de Hogwarts, mas após Olivia e sua saída do nada sem deixar rastros. Mas a um tempo o professor de poções e ela gastavam seu tempo livre a conversar, fazer poções, rir de algo que nem sabiam o que era realmente. E de alguma forma ainda mais estranha sentiu saudade de tal convivência nas férias. Longas férias....

–Bem vejamos... Esse local eu conheci quando estava em missão, eu e Bastian tivemos que nos infiltrar e viemos parar aqui... E dançamos tango em cima daquela mesa...-Contou apontando pra mesa e gargalhando, ao se recordar de como terminou a noite. -Não, eu e Bastian sempre fomos amigos... Ahh claro sempre tem isso de fingir algo, já fingimos ser namorados, só tive de aturar ele roncando na cama, até jogar ele dessa e enfiar a meia dele na boca. Na verdade ele acordou apenas tossindo... -Comentou pensativa. -E nessa missão descobri que aqui era um lugar divertido até... Por exemplo aquele senhor de chapéu marrom, vende ervas e plantas exóticas... Já a mulher que parece ter bigode, sempre tem excelente exemplares raros e antigos... Já o meio gigante ao fundo é o rei dos animais raros... -Fala discretamente e ergue o cálice na direção do homem barbudo e engraçado.

-Na verdade Molly disse que ou eu lhe convidava, ou ela iria na sua casa de camisola lhe chamar... E acredito que não queira conhecer minha Ama e segunda Mãe dessa forma... -Confessou rindo. E arqueia a sobrancelha sorrindo ao ouvir ele falar que da próxima vez iria lhe chamar. -Façamos assim, cada hora um convida o outro, vamos ver quem surpreende mais quem, Sr Mestre.-Brincou rindo. Ouvindo ele pedir os Menus, e pegando o seu lendo as opções deste e rindo ao ouvir o que ele queria.

-Pobres Javalis…. -Brincou pedindo uma salada e arqueando a sobrancelha pra ele. -Minha salada é saudavel e leva uma deliciosa truta grelhada e batatas assadas com alecrim, é uma delicia okay? -Falou defendendo o prato escolhido. -Homens e seu fascínio por carne... Drake adora carne vermelha… -Comentou diante da expressão dele. Vendo o homem se retirar com os pedidos deles. -Isso ainda entupirá suas artérias, faz mal comer tanta carne vermelha. -Falou o encarando de forma mais séria.

Na verdade nem sequer se recordava o porque de te-lo chamado ali. Somente se lembrando disso ao sentir ele por a mão dele sobre a sua, e perguntando o que ela queria falar com ele. Ficando rosada e estremecendo levemente com o toque. Piscando algumas vezes. O que era mesmo? Porém o mesmo interrompeu seus pensamentos ao pegar uma rosa e lhe entregar, segurou a flor a olhando por alguns segundos. Não se recordando bem quando ganhou uma flor. Ou a quanto tempo.

-Obrigada, Darius. -Murmurou timida, colocando a flor do seu lado após cheirar esta. -Na verdade, eu queria pedir ajuda... -Fala baixo. -Eu recebi uma carta da Eib... Ela como você deve saber se casou com o Cathal, e eu tenho certeza que ela foi infeliz, ele não é ou era um bom homem, mas eu deixei, eu realmente vi que a forma como ela estava, nada a pararia somente ela mesmo e suas decepções. -Murmura baixo mexendo o vinho no cálice. -Ela me pede pra ir ver ela... E eu sei que posso agora fazer o que não pude antes, se há uma chance é agora... Eu queria... Eu quero que ela volte a Hogwarts, que estude lá, mas eu não quero pressionar ela... Eu queria... Pedir que ela voltando, você qualquer coisa que note me fale... Eu sei que não é seu papel ou função, eu sei, mas eu preciso ter certeza que dessa vez ela não fará as mesmas escolhas... Porque se ela fizer, não há mais nada que eu possa fazer.-Murmurou parando de falar ao ver o homem chegar com os pratos deles.

Desde que havia recebido a carta de Eibhlin pensou em muitas possibilidades, e de todos apenas ele, Drake e Sunny poderiam realmente lhe ajudar. Ao menos era essa a esperança que tinha. Dando um sorriso gentil a ele.

–Mas não te chamei pra isso exatamente... Queria agradecer pelo seus cuidados no ministerio... E lamento qualquer coisa que tenha ocorrido a sua ex-esposa. De verdade....-Falou sincera, erguendo o calice na direção do dele. -Falemos de boas coisas… Quais seus planos, pirata… O que? Emilly me contou que você arrasou pelos 7 mares.... Quando iria me contar sobre isso? -Brincou rindo da careta dele. -Meus segredos? Ih Não posso, senão terei de lhe matar meu caro.-Falou rindo, começando a comer. De repente sem pensar na tempestade que poderia encontrar no dia seguinte. Mas de alguma forma tendo uma esperança que antes não tinha, e um frio na barriga diferente do que já teve.



OFF
Lamento a demora amoreco Fungo!

__________________________________________________


Meu Bóreas - Meu Falcão peregrino:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Darius Mortymer
Professor(a)
Professor(a)
avatar

Mensagens : 380
Data de inscrição : 03/10/2010
Idade : 33

Ficha do personagem
Agilidade: 7
Ataque: 8
Defesa: 5

MensagemAssunto: Re: 2 de Agosto de 1805 - noite   Sex Ago 17, 2012 10:14 pm

Lucky
Do you hear me, I'm talking to you!
Across the water across the deep blue ocean,
Under the open sky oh my, baby I'm trying...

--------------------------------

Agora eu definitivamente não sabia exatamente o que pensar. Bridget havia me convidado para jantar em um bar onde ela por acaso já andara se agarrando com o meu amigo lobisomem, atual Ministro da Magia e antigo auror, Bastian. Vai entender a cabeça feminina! Para todos os casos, minha mão ainda estava em cima dela, e a observava rindo da maneira sem jeito que ela ficou ao receber a rosa.

- Ajuda? – me questionei preocupado. Bridget era uma mulher forte, bastante forte aliás, e extremamente independente. – Bem... confesso que nunca pensei que você precisasse de ajuda, mas é sobre o que exatamente? – e ela continuou.

Na primeira palavra dela eu entendi o que era Eibhlín... Somente a menina para deixá-la sem chão.”. Bridget contava as coisas que estavam acontecendo, mas eu não era capaz de ver onde eu poderia ajudar. De certa maneira o fato de uma aluna de Hogwarts ter se tornado noiva do antigo ministro/carrasco tinha se espalhado entre os alunos, rumores até maldosos, e nós, os adultos da escola sabíamos as confusões que aquilo poderia arranjar. Abandonar a escola, por exemplo, foi uma consequência que desmontou completamente a professora de DCAT e tutora dela.

- Bridget, voltar é uma escolha dela, eu acho que o melhor você já fez pela menina. Tudo depende das escolhas dela agora... – acariciei suavemente a mão dela, tentando confortá-la. As mãos dela pareciam tão frágeis ao toque, embora eu já tivesse visto os feitiços mais escambrosos que elas eram capazes de executar. – Realmente não é minha função como professor acompanhar a vida íntima dos meus alunos... – me levantei e me sentei na cadeira vazia ao lado dela, amparando-a com um abraço. – Mas é o meu dever como amigo... – e minha voz vacilou um pouco. – Tentar evitar que você fique triste e te dar o meu apoio quando precisar. – a beijei na testa. – Eibhlín sempre foi excelente em Poções, acho que posso conseguir iniciar uma comunicação através disso e talvez ganhar a confiança dela por aí. Farei o que puder pela menina.

O sorriso da ruiva me fez ficar mais sem jeito ainda. Drake e Sunny eram meio que irmãos postiços de criação de Eibhlín, ou ao menos o mais próximo que tinha de influências mais velhas... Talvez fossem eles a quem Bridget devesse recorrer, mas por mais justos e corretos que fossem, a personalidade de ambos não era nenhum pouco temperada o suficiente para lidar com a inflexibilidade e a frieza de Eibhlín. Eu sabia como chegar a menina... Ou pelo menos imaginava isso.

- Obrigado! – agradeci quando o elfo chifrudo voltou trazendo os pratos. – Tome, para uma cerveja amanteigada. – e joguei um galeão do bolso para a criatura, que saiu aos pulos e de olhos arregalados para trás do balcão do restaurante. – Não é libertar, mas as vezes acho que eles precisam se divertir um pouco... E uma cerveja amanteigada não vai matá-los. – argumentei para um Bridget que ria, dizendo que eu libertaria os elfos do mundo.

Me lancei sobre o bife de javali. Enquanto eu tentava me conter para não comer avidamente o prato, que estava delicioso aliás, mas ainda assim deixei molho respingar na minha manga, Bridget comia como uma dama e ria do meu jeito meio desastrado de ser.

- Cuidados no Ministério? – eu comecei a rir. – Acho que temos uma visão meio diferente da coisa toda... Eu quase fui trucidado pela ex-mulher do Damian. – e se não fosse eu ter corrido para a sessão estranha de orbes brilhantes, só Merlin sabe o que teria sido do meu futuro. – Ah... A Claire... – minha voz saiu baixa e desanimada. Aquela maldita mulher ainda me atormentava depois de tanto tempo. – Na verdade eu nem lamento tanto. Eu acho que me libertei dela no fim das contas. Você e Selene que foram ótimas... Quem sabe o que aquela maluca podia ter feito a Emily...

Pelo menos Claire era um problema que eu não teria mais na minha vida. Depois de ter sido escorraçada por Bridget e Selene, dera no Profeta Diário que ela fora morta uma semana depois por uma senhora idosa, ao tentar assassinar a garota Mitchell na casa da avó da amiga Perséfone.

- Planos? Pirata? Hahaha Onde é que foi que você descobriu isso? – perguntei espantado quando Bridget lançou os termos. – Olha, pra ser sincero não é um passado muito legal de se contar. – continuei num tom brincalhão e fiz uma careta. – Depois que você encontra mil e um demônios aquáticos tentando te matar por uma arca ou um tesouro afundado, o mar meio que perde a graça. - e marujo cabeça de alga não é um apelido que eu goste muito de recordar. – Mas você também deve ter os seus segredos, senhora dos monstros das trevas... Quando vai me revelar alguns deles?

A ruiva fez-se de desentendida e voltou ao prato, para atacar suas folhas de alface. Ela realmente tinha segredos... E agora um deles me parecia tão próximo e só então me dei conta: Claire me traíra no primeiro ano em que eu fora para Hogwarts. Eu recebera uma carta anônima... E foram Bridget e Olivia quem eu encontrara naquela noite, dois anos depois, após os tragos no Dragão Verde com Damian e Giacomo e acabei indo parar em cima do palco daquele tal Clube das Varinhas... Como eu nunca me dei conta disso antes? Elas eram as únicas que me conheciam e também frequentavam o tal clube onde tudo começara.

Afinal eu acho que descobri quem foram as autoras anônimas da carta que me revelara a traição... Eu não perguntaria é claro, seria muito invasivo lançar uma revelação dessas a queima roupa. Talvez eu devesse esperar Bridget revelar; mas a maneira como ela sempre ficava sem jeito, a maneira como ela ria e agia estranhamente quando eu me aproximava demais, pareceram fazer mais sentido. Ela estava sentindo algo por mim? Porque se fosse havia algo partindo de mim também... Terminamos de comer, e após conversar prazerosamente por mais algum tempo, decidi tentar.

- A comida está excelente, mas acho que podemos aproveitar a noite ainda mais. – me levantei sugerindo e ofereci o braço para ela. – Quero te mostrar uma coisa, vamos? – ela segurou o meu braço rindo e saímos do bar. Andamos mais um pouco e paramos perto da praça do Jardim Botânico Real, no centro de Londres. – Aqui, acho que está bom. Olhe para o céu, bem ali. – indiquei, apontando para uma constelação. – No mar costumávamos chamar aquela constelação de Lágrima de Sangue da Viúva. – se bem que havia quem visse somente Órion ali... Mas a coisa era mais romântica do outro modo. – A história diz que uma jovem que tinha acabado de se casar perdeu o marido para o mar, quando ele entrou para uma tripulação, quando soube que ele morreu seu choro se derramou pelo céu... Dizem que quem vê a constelação de noite, consegue enxergar com clareza para onde o próprio coração aponta, assim como a jovem viúva que procura o marido pela batida de seu coração. – o meu particularmente começou a bater descompassado. – Você consegue adivinhar para onde eu vejo as estrelas apontando hoje? – Bridget ficou sem fala quando olhei diretamente para ela, enquanto falava mais calmo. – Talvez ele sempre estivesse apontando e eu que nunca reparei antes... – as hortências noturnas se abriram, seguindo seu ciclo. – Mas acho que finalmente descobri... – coloquei a mão em volta de sua cintura, a outra acariciou sua face, me aproximei lentamente encostando meus lábios nos dela...

Aquela sensação foi diferente do que imaginei... Mas boa. Tão boa que nem notei que havíamos saído do restaurante sem pagar. Mas o que importava? Naquela noite, eu acho que a estrela da sorte estava brilhando novamente para mim.


--------------------------------

NOTES Um resultado bem legal para o Darius. haha Sempre pensei que o meu person mais romântico fosse o Mile. xD Música do post: Lucky

Ações Finalizadas

__________________________________________________



By Eyma


color=indigo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Bridget McNach
Professor(a)
Professor(a)
avatar

Mensagens : 564
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 14
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: 2 de Agosto de 1805 - noite   Dom Ago 26, 2012 4:42 pm


__________________________________________________


Meu Bóreas - Meu Falcão peregrino:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: 2 de Agosto de 1805 - noite   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
2 de Agosto de 1805 - noite
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Noite estrelada na praia
» Boa Noite Gente bonita! Chega mais ai!
» Capítulo 2 - Uma Noite na Taverna
» BOM DIA , BOA TARDE & BOA NOITE !
» DAMA DA NOITE

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fidelius RPG :: POSTS 6º ANO :: MUNDO Bruxo e Trouxa-
Ir para: