Fidelius RPG
Seja bem vindo(a) ao FIDELIUS RPG!!! Por favor se cadastre e em um prazo de UMA semana no máximo você será liberado(a) e fará parte do segredo.

Fidelius RPG

Hogwarts sempre ajudará aqueles que a ela recorrerem!
 
FAQInícioPortalRegistrar-seConectar-se
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Direitos Autorais
Calendário ON



Fundadores



Protego

Compartilhe | 
 

 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Angus Mayfair
Aluno(a) Sonserina
Aluno(a) Sonserina
avatar

Mensagens : 770
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 3
Ataque: 4
Defesa: 3

MensagemAssunto: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   Dom Ago 19, 2012 10:39 am

RP Fechada
- Rolling Books -


Angus Mayfair


Lilith Crowley


Astrid Diammond

20 de Outubro de 1805
Manhã - Biblioteca


Última edição por Angus Mayfair em Sex Ago 31, 2012 9:56 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Angus Mayfair
Aluno(a) Sonserina
Aluno(a) Sonserina
avatar

Mensagens : 770
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 3
Ataque: 4
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   Dom Ago 19, 2012 11:42 am



:: Kidnapping in the Library ::

Certo. Eu chegara em um empasse meio complicado de se resolver. Lembram daquele diário de pergaminho que meu avô tinha deixado comigo antes de morrer? Sim, aquele mesmo que eu não dava a mínima atenção antes. Pois é. Eu comecei a investigá-lo e eis a minha grande descoberta: ele repelia tinta! Qualquer tipo de tinta. Menos aquela castanha (que eu não fazia idéia do que era!) na qual estavam escritas as palavras sem sentido, receitas de poções e desenhos de criaturas estranhas que vovô rabiscara. Eu não sei como nunca reparara nisso antes, mas jamais passara pela minha cabeça escrever no diário antes.

Na noite passada enquanto eu fazia o meu dever de TCM, a demônia ruiva da qual emana todo o mal do planeta (vulga Pandora) e suas duas novas comparsas de crime, Alice e Arya, tentaram me pendurar pelos tornozelos no comunal, enquanto eu escrevia o dever sobre múmias, o tinteiro caiu em cima da minha mochila e sujou tudo, mas no livrinho nenhuma mancha. Depois que reparei, rabisquei nele, mas nem a marca e nem a tinta ficaram. Ele repelia nanquim, grafite, lápis de cor, giz de cera e qualquer coisa escrevível.

Antes de levar o diário a algum professor para ver se podiam me ajudar, decidi pesquisar por conta própria. Até porque o cara das letras mágicas da escola não era nenhum pouquinho simpático, e eu nem queria imaginar o que o professor Blake falaria se eu, que nem faço parte da turma de Runas Antigas, chegasse pedindo ajuda... Bom, no fim das contas isso explica porque eu estou indo para a biblioteca neste exato momento.

- Com licença... – me aproximei do balcão da bibliotecária e sim, eu sou sonserino, mas sou educado. – Oi, bom dia Srta. Karpyenko.... – tentei chamar a atenção da moça, que continuava enfurnada em um pesado tomo... Algo sobre “Variedades de Megeras da Escandinávia” pelo título, seja lá o que fosse isso eu esperava que a Srta. Karpyenko não pensasse em fazer casas de doces ou devorar criancinhas por aí. Sabem, a biblioteca já tem uma má reputação. – Então, você poderia me ajudar? Estou procurando algo sobre escrita... Técnicas de escrita e codificação mágica para ser mais preciso. – a bibliotecária arqueou a sobrancelha e me olhou descrente. “Qual é? É tão difícil assim acreditar que um sonserino estude por conta própria?”Sim, é um dever de Runas Antigas... – menti.

A bibliotecária indicou uma sessão no piso superior. Acenei com a cabeça em agradecimento, e subi silencioso para o lugar indicado. E para variar, a bibiloteca hoje estava um inferno... O tal torneio tinha subido a cabeça dos competidores, que tinham corrido para aquele lugar estudar seja lá qual feitiço pudesse salvar o couro deles na primeira tarefa no mês que vem. E aquele lugar que eu até que gostava bastante estava um pandemônio hoje: gente gritando uns para os outros, nomes de criaturas e feitiços de última hora... Dei um muxoxo de impaciência e revirei os olhos “Se eu quisesse perder a vida, era só me jogar da torre, não precisaria entrar em um torneio suicida.”.

Corri a mão pelas lombadas dos livros, murmurando os nomes que eu via e as sessões que passava. Escutei uns ruídos meio estranhos, risinhos abafados, gemidos e me afastei rapidinho. Ué? Vou atrapalhar? Todo mundo sabe que a sessão de História da Magia tem os mesmos usos que o armário de vassouras, o vão da escada do terceiro andar e o espaço atrás da tapeçaria do rei guilhotinado perto da sala de Aritmancia, não que eu frequente é claro, sou moço de família, mas sei de uma coisa da função desses lugares: disseminar o pecado da luxúria em Hogwarts.

Finalmente cheguei na sessão de Runas Antigas, logo ao lado da entrada para a Sessão Reservada. Estava vazia para variar... Comecei a apanhar umas pilhas de livros que ia vendo e pareciam ter títulos informativos.

- Compêndio de Escrita Tebana... – murmurei enquanto apanhava mais e mais livros. – Silabário de Spellman... Ótimo! E esse aqui...? Grimório das Letras Encantadas... Chaves de Hamurabi... Não, não, esse tá se desfazendo mais que o diário... – no final eu já tinha duas pilhas consideráveis pra consultar.

Me aprumei e segurei os livros nos braços, pronto para voltar a uma mesa, sem sequer conseguir enxergar o que estava a minha frente. Pelo menos hoje eu não tinha aulas e nem deveres... Podia passar o dia pesquisando. Eu estava a caminho de uma mesa vazia, quando um tornado, abalo sísmico ou seja lá que obra do maligno, surgiu da esquina da estante e tentou me atropelar. Capotei, com os montes de livros rúnicos desabando sobre a minha pobre escamosidade.

- Au! Doeu! – gemi, por baixo do monte de papel. – Pandora, se for você... – claro que tudo o que acontece de ruim tem uma única culpada nesse universo... Mas não era o satanás ruivo dessa vez... - Vocês não são a Pandora. – olhei embasbacado para as duas meninas... E sim, eu disse duas! Duas loiras bem bonitas. Meu queixo meio que se desgrudou, e isso não é nada bom... Elas vão pensar que eu tenho algum retardo mental. – É, perdão meninas. Não vi que vocês estavam vindo... – tentei me desculpar como pude, me levantando e estendendo a mão para elas.

- Mas vocês também não deveriam correr pela biblioteca, tem gente estudando por aqui sabiam? – contra-argumetei a lufana Lilith, que ralhou comigo para olhar por onde andava. – Nerd, eu? – comecei a rir irônico do comentário da outra menina. – Acho que alguém ficou confusa com a queda, a corvina aqui é você Astrid.

Embora todo mundo soubesse que aquela não era exatamente o melhor exemplo de garota da corvinal. Astrid era até vaidosa e bem bonita, não sei se era estudiosa, mas... Bem... Mile me contara que ela era da máfia trouxa e saia puxando armas de fogo para qualquer garoto inocente que tentasse paquerá-la. Na verdade, aquele era uma dupla bem... Incomum? Uma lufana doce e meiga do lado de uma criminosa em potencial. Mas era só olhar para a Lilith e víamos que ela já havia sido corrompido pelo lado dark da força. Repararam nos olhos dela? Lápis preto. Pois é, lufanas estão ficando rebeldes demais.

- Agora se vocês me dão licença, tenho que achar umas informações... Até qualquer hora! – mas eu não fui exatamente liberado. Não sei qual das duas loiras, se a de olhos pretos rasgados ou a de pontas rosas no cabelo, grudou no meu pescoço. – Ok, eu não vou me mexer! – respondi baixinho quando escutei um “Sem movimentos bruscos!” e senti um fio de corte de faca na minha garganta. – O que vocês eh... Prentendem fazer comigo? – perguntei um pouco mais nervoso, quando uma delas tirou a minha varinha de dentro da minha calça. E sem malícias, por favor! O molestável da escola não sou eu... Ò.Ó

Eu achava que a delinquência juvenil provinha de nós da casa verde, mas começo seriamente a desconfiar que a onda de criminalidade está se generalizando e tomando posse desse lugar. Tecnicamente o cara mal não deveria ser eu, o sonserino? O que texugas e corvas de cabeça virada queriam comigo? Agora estou desarmado, nas mãos de duas loiras revoltadas, que sabe-se lá o que pretendem fazer com o meu corpo. Valeu aí produção!

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Astrid F. Diamond
Aluno(a) Corvinal
Aluno(a) Corvinal
avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 25/02/2012

Ficha do personagem
Agilidade: 5
Ataque: 3
Defesa: 2

MensagemAssunto: Re: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   Ter Ago 21, 2012 8:18 pm

I'm Childish and I Hate Losing

Começar o dia aprontando alguma... claro que eu não iria mudar nada nesse ano!
Dessa vez a vantagem é que arrumei uma parceira no crime, uma lufana chamada Lilith, posso dizer que os olhos de maquiagem escura da menina me assustam?!
O caso é que a biblioteca era o alvo de hoje, o lar dos santinhos e dos insanos do torneio suicida, eu confesso que fiquei tentada em ir apenas para atrapalhar mas... honestamente, arriscar minha vida a toa apenas para diversão do diretor maluco?! Nem fudendo!
- Verdade Lilly, um bando de insanos arriscando a vida por nada, mas vai ser engraçado assistir, juro mesmo!
Entramos na biblioteca, o plano era achar algum livro para pregar uma peça nos cobrinhas, eles são conhecidos como os encrenqueiros de Hogwarts, sabe... queria adicionar uma má reputação a nós corvos também!
Entramos na biblioteca discretamente e inocentemente passamos pelas fileiras de alunos estudando... maldito torneio! Ah sim! Quem desconfiaria de uma "estudiosa corva" e uma "inocente texuga"?
Corremos pelas seções, aquele lugar era enorme e não tinha a mínima ideia de onde estaria a Sessão Reservada, correndo, correndo e... BAM!
Trombamos numa serpente, aliás num serpente que pelamordedeus... AAH venhamos e convenhamos! Aquele lugar era uma droga, mas os meninos!
Enfim, o criatura viu a gente indo pra Sessão Reservada, não pode viver, eu teria que matá-lo, ou melhor, nós teríamos que matá-lo, encarei Lilith de canto de olho.
- Au! Doeu! - ele disse por baixo de uma pilha de papéis, quem manda carregar tanto livro! - Pandora, se for você...
Ri alto, Pandora?! Faz me rir! Nem tudo seria culpa daquela ruiva.
É, perdão meninas. Não vi que vocês estavam vindo... - ele estendeu a mão em um gesto amigável, ok apertei a mão dele e continuamos ali.
- Licença, você não deveria olhar por onde anda?! - Lilith ainda tem a mania de ser "educada" usando palavras gentis, ela não iria longe se continuasse assim!
- Mas vocês também não deveriam correr pela biblioteca, tem gente estudando por aqui sabiam? - ele argumentou.
- Nerd! - cruzei os braços e mostrei a língua para ele.
- Nerd, eu? - ele riu e arqueei a sobrancelha - Acho que alguém ficou confusa com a queda, a corvina aqui é você Astrid.
- Perdeu a noção perigo... Angus?! - disse já trocando olhares com Lilith, sim, iríamos raptá-lo.
- Agora se vocês me dão licença, tenho que achar umas informações... Até qualquer hora! - puxei o pescoço dele e Lilith puxou o punhal apontando pra garganra dele.
- Sem movimentos bruscos... - disse baixinho em seu ouvido.
- O que vocês eh... Prentendem fazer comigo? - ele perguntou nervoso e eu ri, na verdade... nem eu sabia! Espero que Lilith tenha alguma ideia maligna que não seja colocar ele num cesto de coelhinhos!
Lilith tirou a varinha do bolso da calça dele, andamos mais um pouco para a Sessão Reservada silenciosamente e usando Angus como refém, mas aí aparece andando uma criatura leoa que nem identifiquei então mantivemos a pose de pessoas normais fazendo coisas normais, Lilith soltou Angus... será que foi um erro?



the end
tagged: Angus Mayfair & Lilith Crowleywearing • BABY DOLL @ ETVDF!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Lilith Crowley
Aluno(a) Lufa-Lufa
Aluno(a) Lufa-Lufa
avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 17/01/2012
Idade : 20

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   Seg Ago 27, 2012 3:16 pm

Show me how to lie you're getting better all the time,
And turning all against the one is an art that's hard to teach


Eu confesso que mudei bastante, ano passado era meio que a santinha do pau oco e agora estou na máfia praticamente, isso tá certo não!
Tudo bem que aconteceu isso e aconteceu aquilo mas... é acho que mudei demais e isso pode ter sido bom pra mim mesma.
- Eu só acho esse torneio meio que loucura sabe... esse povo aí se matando para ganhar um troféu!
Tínhamos preparado tudo, iríamos até a Sessão Reservada para procurar algum feitiço ou poção para nos ajudar a pregar uma peça nos sonserinos, aqueles malditos sempre levavam a fama de maus, tá na hora de colocar um pouco na bagagem texuga e corvina também!
- Correndo a gente acha mais rápido né?! - encarei Astrid - Então vamos!
Puxei ela pelo pulso e fomos correndo, passamos bem pelos alunos até trombarmos justamente num sonserino... ôh raça desgraçada!
- Licença, você não deveria olhar por onde anda?! - definitivamente, não consigo ser de toda má...
Angus é o nome dele, pelo menos eu acho que é Angus, ele começou a discutir com Astrid e ela me lançou aquele olhar... aquele olhar maligno, francamente, aquela menina me dava muito medo às vezes.
Saquei o punhal e apontei para a garganta de Angus, eu acho realmente que não faria nada, acho que assassinar alguém faz mais o tipo da Astrid.
Angus perguntou o que pretendíamos fazer com ele... NÃO TENHO A MÍNIMA IDEIA, A PESSOA MALIGNA AQUI É A ASTRID VIU?! EU SOU APENAS UMA DOCE INOCENTE ANJA TEXUGA! Duvido que acreditem nisso a esse ponto...
Tirei a varinha do bolso dele, seria péssimo se ele ao menos tentasse usar alguma coisa contra a gente, cara... agora fico com medo de ir a biblioteca sozinha... mesmo eu sendo a sequestradora nesse caso pode ser pior, e se alguém resolver seguir os nossos passos?!
O punhal ainda apontado para a garganta de Angus, andamos mais um pouco até a Sessão Reservada, nem sei o que pretendíamos com ele junto, então continuamos a caminhada até que uma grifina passou por nós, meu medo de ser pega quase matando alguém falou mais alto e soltei Angus, o criaturo devia estar tão traumatizado que não moveu nenhum músculo aparentemente.
Astrid entrou correndo na Sessão Reservada... SOZINHA! O que ela tem em mente?! Peguei o sequestrado e o levei junto.
Ela estava folheando livros loucamente, pegava um, folheava e jogava, pegava outro, folheava e jogava.
- Astrid! Mais silêncio por favor! Vamos ser pegas!
Olhei de relance para Angus, a faca ainda apontada para sua garganta e dei um pequeno riso, talvez ser má não doesse de vez em quando...





Vestindo: Aqui
Citei: Astrid F. Diamond & Angus Mayfair
Notas: Terrível! x.x
Edito sem problemas e me desculpem a demora T^T

Template By Flying Away from TDN ♥
Voltar ao Topo Ir em baixo
Angus Mayfair
Aluno(a) Sonserina
Aluno(a) Sonserina
avatar

Mensagens : 770
Data de inscrição : 06/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 3
Ataque: 4
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   Sex Ago 31, 2012 9:53 pm



:: Kidnapping in the Library ::

E aí você me diz: Mas elas são apenas uma corvina e uma lufana, Angus! E eu respondo para vocês: Elas tem uma faca no meu pescoço, afanaram minha varinha e eu não quero perder minha vida na mão de duas meninas de cabeça virada. Mil e uma maneiras de escapar delas me passavam pela cabeça enquanto eu ia sendo arrastado, mas nenhuma era viável o suficiente para tentar.

Quando a garota da grifinória passou por nós, as meninas me soltaram e fizeram cara de inocência, pensei seriamente em correr, gritar por ajuda... Mas apenas sorri meio nervoso, e a leoa passou sem reparar nada. E vocês, caros leitores, fariam a mesma coisa se aquela texuga desalmada de olho junto estivesse com uma faca nas suas costas. Qual é? Eu simplesmente valorizo demais minha integridade física. Não quero ter meu rim perfurado pela Lilith.

- Sério, depois dessa nem no Mile eu confio mais. Vocês texugos são perigosos. – ralhei baixinho. – Hou, sem empurrar! Que que foi? Eu não posso nem mais falar sozinho? – fuzilei Astrid com os olhos.

As meninas continuaram me empurrando, e quando vi o conjunto de prateleiras das quais nos aproximávamos fiquei estático. Elas estavam me arrastando para a Sessão Reservada. “Merlin, por que eu?”. Revirei os olhos tentando ver se a bibliotecária estava nos vigiando, mas ela continuava afundada no livro gigantesco sobre megeras.

- Aí dentro? Vocês tão falando sério? – arqueei a sobrancelha quando elas estancaram e me empurraram na frente. – Calma aí... Vocês acham que eu vou denunciar vocês! – conclui sozinho e comecei a rir da ironia da situação. – Vão na frente, podem me deixar livre, eu não falo pra ninguém. – me prontifiquei, saindo da frente delas. – Qual é? Vocês não conhecem sonserinos? Cuidamos cada um da nossa própria vida, se vocês querem ir lá e se matar com algum livro maligno, problema de vocês... Eu tô indo nessa. Devolvam minha varinha. – mas Astrid me aplicou uma chave de braço estrangulante, e eu não tive muitas opções. – HEY, SEM VIOLÊNCIA, EU COOPERO!

Tá certo, a coisa tava mais do que clara. Eu tinha sido levado como refém. Refém de duas garotas. Se papai soubesse disso... Adeus herança Mayfair! E agora pensando bem, o que aquelas meninas queriam exatamente comigo? Tipo, eu não ia contar mesmo nada pra ninguém. Tava falando sério! Mas se elas faziam tanta questão de me levar, um corpo de um menino sonserino, era porque eu teria alguma utilidade para elas e... MEU SANTO MERLIN!

- Vocês não estão tipo, planejando nenhum ritual das trevas, não é? – falei entrecortado, passando por cima da cordinha de segurança da Sessão Reservada. “Puff... Como se isso impedisse o povo de entrar aí! ¬¬”. – Sério, eu me pergunto o que vocês pensam de nós sonserinos... Não somos todos ‘du mal’, sabia? – argumentei novamente para Astrid. Lilith deu risada. – Não Lilith, nós sonserinos não fazemos um despacho por dia, nem sacrificamos animais ou bebemos sangue de trouxas, azaramos lufanos só quando eles nos irritam e não a troco de nada (a Lanna e a Eibhlín não, elas são sádicas mesmo...), e não faço ideia do que venha a ser um trabalho numa encruzilhada e também nem tenho pretensões de torturar ninguém nas masmorras, ok? - sorri sarcástico para ela.

Sério, as pessoas tinham que rever os conceitos sobre sonserinos. O Sr. Slytherin fazia aquela pose toda de anti-trouxa, mas hey! Olhem para mim, também existem caras legais na sonserina que não aspiram a futuro presidiário de Azkaban! Quando as duas meninas entraram e continuaram me empurrando percebi que a melhor saída para aquela situação era fingir concordar com aquele sequestro. Ah não ser que... Bem... Eu pudesse usar aquilo a meu favor... “HA! Acabei de ter uma ideia brilhante! Chupa essa Astrid, corva desnaturada, sonserinos também são inteligentes! o/”

Eu estava procurando as coisas a respeito da escrita mágica secreta do livro do vovô, certo? Que lugar melhor para fazer isso do que na Sessão Reservada? Era óbvio! Eu nunca encontraria nos livros normais da sessão aberta, porque eles falam só sobre alfabetos mágicos, mas não sobre técnicas secretas e antigas de escrita...

Astrid rapidamente começou a apanhar livros e a folhear apressadamente, enquanto a lufana ainda brincava de tentar furar a jugular do pobre Angus aqui. Perdi a paciência de uma vez.

- Sabe, se vocês me soltarem, eu posso ajudar vocês a encontrarem o querem mais rápido... – me ofereci, mas as meninas riram. – Mas logo eu? Juro para vocês que não sou uma boa cobaia... – que o diga ano passado a confusão com poções, eu perdendo meu corpo e ficando como menina por uma semana. Sutiãs ainda me assustam. x.x - Quem sabe algum grifinório? Eles são desmiolados o suficiente para se oferecerem pra essas coisas...

- Ah fala sério! Eu to tão ferrando quanto vocês se formos pegos. – me desvencilhei rapidamente, like a snake boss, da faca da Lilith e as encarei de frente e de braços cruzados. A bibliotecária não fazia muitas perguntas, e duvido que ela acredite que eu fui trazido como refém para a sessão reservada... Logo estava tão ferrado quanto elas já. – Um feitiço ou poção vocês querem então? Eu ajudo vocês, mas vocês me devolvem minha varinha no fim das contas e me deixam livre, com o corpo inteiro. Feito? – dei de ombros, as meninas me encararam e fechamos o acordo. Comecei a folhear alguns livros. – Feitiço cabeça de aranha... Empalando com uma estaca e um ancinho... Troca de corpos... Possessão por espíritos agourentos... Hábitos vampíricos da Transilvânia. Vamos lá, o que vocês querem? – apontei murmurando para um monte de livros na minha frente. – Não é minha praia, mas se vocês curtem esse negócio de torturas...

A lufana e a corvina ficaram encantadas por uma poção laxante de efeito reincidente para evacuar anfíbios, mas eu continuei buscando livro sobre técnicas ocultas de escrita. Um com a capa vinho, rugosa e em couro chamou minha atenção... “Necronomicon: a escrita dos mortos”. Apanhei o livro e olhei a capa. Ele era estranho, parecia costurado com uma linha preta, como se fossem cabelos ou pêlos, e o couro vinho parecia muito com... Pele curtida, blergh! Abri o livro e meus olhos se arregalaram. As letras estavam numa tinta muito parecida com a que vovô escrevera no Diário. Castanha e...

- Achei! – murmurei incontido. Aquele livro devia ter a resposta que eu procurava. – Não é nada meninas... Podem voltar aí as suas tendências sanguinárias.

Aquilo era SIM alguma coisa. Mas quando eu virei a página, a coisa fugiu do meu controle... O livro simplesmente flutuou das minhas mãos e se abriu em pleno ar. Tentei apanhá-lo, mas estava fora do meu alcance. As páginas correram rapidamente e tudo foi rápido demais... Coisas começaram a se materializar na frente do livro: morcegos de sombras, que saíam de dentro dele. Arregalei os olhos quando os morcegos começaram a se “infiltrar” nos outros livros que havíamos pegado. Os outros livros começaram a voar também. Olhei rápido para as meninas, que também estavam espantadas.

- Não fui eu! - os livros deviam fazer barulho estranho? - Acho que é melhor correr... – era só uma humilde opinião. Mas quando os livros flutuantes começaram a criar caninos e rosnar para nós, eu tive certeza: correr era a única opção. – PRA FORA!!!! – e sai aos solavancos, atrás das meninas, que já tinham dado no pé. Se elas devolvessem minha varinha, seria muito útil, sabem... Mas por enquanto fugir dos livros encapetados já era suficiente.

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Astrid F. Diamond
Aluno(a) Corvinal
Aluno(a) Corvinal
avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 25/02/2012

Ficha do personagem
Agilidade: 5
Ataque: 3
Defesa: 2

MensagemAssunto: Re: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   Dom Out 14, 2012 4:54 pm

I'm Childish and I Hate Losing

Impressão minha ou a masculinidade dele diminuía a cada passo que dávamos, ficando mais perto da Sessão Reservada?
- Se Lilith confia em você, bom, eu não confio! Não vou te soltar garoto! - o encarei de cima a baixo - NÃO! VOCÊ. NÃO. PODE. PASSAR.
Chave de braço! Não tive outra escolha, se ele continuasse poderia até tomar um tiro, já estava ficando realmente irritada...
- Claro que vamos, invocar satã dentro da biblioteca, tem lugares mais apropriados sabia?! - disse ironicamente - Vocês são muito olho junto, não vou confiar não!
Cara, um ritual satânico não seria uma má ideia não? Ok Astrid, concentração, não pretendo vender minha alma que nem o Ben, eu lembro depois do resultado e é, não!
Deixei Lilith cuidando do espertinho e fiquei folheando livros rapidamente, caramba! Nem aqui tem um bom livro para fazer uma bagunça, eu poderia só causar mortes desastrosas... Se ficasse treinando durante três séculos aqueles malditos feitiços!
Angus disse algo sobre soltá-lo e logo comecei a rir, ele seria a cobaia para o experimento, quem mandou trombar com a gente no caminho?!
Tirei os olhos deles por um minuto e Angus estava solto, obviamente Lilith não tinha colocado força suficiente para prender o menino, da próxima vez ela procura!
Parecia tentadora a proposta dele, um feitiço ou poção em troca da liberdade, bom, tínhamos um acordo agora.
Fui ao lado de Lilith, ela mantinha uma expressão estranha no rosto, eu sabia que não estava acostumada com isso, mas ela que pediu para participar, que não me culpe depois!
Gostei de um que falava sobre possessão por espíritos agourentos, mas Lilith achou cruel demais, divina Ártemis, tenho que ensinar algumas coisas para essa garota!
Reparei que Angus estava folheando alguns livros aleatórios, pareciam todos sobre escritas antigas, do nada o esperto diz que achou... O cara é maluco mesmo! Corre Lilith! Achamos um louco da machadinha! Qual é?! Ele disse isso quando estava com o livro mais tenso do mundo nas mãos...
Aí que a peste começou, o livro dele tava voando, levou os outros livros na macumba e daí eles simplesmente começaram a fazer barulhos ameaçadores pra gente, ótimo, as opções eram:
1 - Correr e gritar loucamente, ser pega e passar o resto da vida na solitária
2 - Morrer nas mãos (ou páginas?) daqueles livros-morcegos
3 - Dar tiro em tudo, matar geral e acusar o primeiro aluno que cruzar meu caminho.
Nenhuma das três me parecia viável.
Mas a mais sensata era correr loucamente, puxei Lilith pelo pulso e comecei a correr desviando daqueles livros satânicos, Angus veio logo depois, ele podia ter ficado de isca caramba!
Não tínhamos saído da Sessão Reservada, mas aposto que se tentasse dar um tiro ouviriam do lado de fora, foda-se! Minha vida era mais importante a essa altura!
Saquei a arma e parei, Lilith me encarou como se eu fosse doida, mas é aí que tá, eu sou!
Atirei no primeiro, segundo, terceiro... Eles caíam mas não morriam! Levantavam poucos minutos depois, pareciam até mais furiosos...
Nota mental: livros são do mal.
- Lilith! - gritei enquanto atirava nos livros - - Devolve a varinha! Vai que ele sabe alguma coisa pra nos tirar dessa!
Os livros estavam chegando mais perto, só vi uma varinha voando antes de continuar a correr e me esconder entre duas prateleiras, até os livros me acharem de novo... Não deu nem dez segundos, continuei a correr, agora, cadê a Lilith e o Angus?! Francamente!
Vou ficar na solitária por atirar em livros, toda a minha vida eu pensei que seria presa por alguma coisa mais digna talvez, e a honra?! Onde fica?!
Me escondi por mais três minutos e consegui atirar em mais alguns, ah! Achei os dois! Corri até eles.
- Algum plano espertinho?! - perguntei pro serpente ali - Que eu saiba você começou isso etão você termina!
Acho que nunca tive que atirar tanto na minha vida, alguém exorcize esses livros!


the end
tagged: Angus Mayfair & Lilith Crowleywearing • BABY DOLL @ ETVDF!


Aqui:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: 20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
20.10.1805 - Rolling Books - RP Fechada
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Fábrica] Mega Coders [FECHADA]
» [Crônica Fechada] Sinister Cabaret - Vampire The Masquerade - Denver By Night (Crônica Livre)
» [EO] Fábrica – Sistemas Eclipse Origins [Fechada]
» [Konoha] Academia Ninja
» [RP FECHADA] Blind Meet - 17/08/2015

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fidelius RPG :: POSTS 6º ANO :: HOGWARTS - Posts Internos-
Ir para: