Fidelius RPG
Seja bem vindo(a) ao FIDELIUS RPG!!! Por favor se cadastre e em um prazo de UMA semana no máximo você será liberado(a) e fará parte do segredo.

Fidelius RPG

Hogwarts sempre ajudará aqueles que a ela recorrerem!
 
FAQInícioPortalRegistrar-seConectar-se
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Direitos Autorais
Calendário ON



Fundadores



Protego

Compartilhe | 
 

 A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Cronos e Perséfone Mileto

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 08/06/2011

MensagemAssunto: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qua Jun 08, 2011 7:04 pm




Até parece que falamos grego, tá difícil de entender? -Q


A família Mileto mora em um pequeno vilarejo grego. Não há muitos vilarejos completamente bruxos na Grécia, mas Antia é o que tem uma população menos trouxa.

A casa em si não é muito grande, ao menos, se olhar por fora. Magicamente ampliada por dentro para acomodar os trigêmeos bagunceiros e as experiências do pai, contudo, contém feitiços de ilusão para os trouxas que resolvem visitar a família casualmente.

Por hora, os irmãos dividem o mesmo quarto, Perséfone se nega a dar um quarto para cada um enquanto eles não forem responsáveis o suficiente por eles.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Cronos e Perséfone Mileto

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 08/06/2011

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qua Jun 08, 2011 7:24 pm



{ MORADORES }







{
cronos de mileto,

grego • casado • 47 anos • bruxo • NPC

❝calma, já sei o que fazer. peguem mais madeira e vamos tacar fogo em tudo!❞

Quem conhecer Cronos hoje dirá que o velho é louco. Não estão tão longe assim da verdade, mas não estão certos também. O homem trabalhava no Ministério da Magia Grego, no Departamento de Pesquisa e Limitação de Dragões, e isso o fez ficar meio biruta das ideias, além da forte atração pelo fogo. Apesar das ideias insanas, Cronos é um pai divertido, entusiasmado, aquele que coloca os meninos fora da linha, o que dá uma grande dor de cabeça para a esposa.








perséfone de mileto,

grega • casada • 42 anos • bruxa • NPC

❝alguém pode me dizer por que tem um gnomo mastigando nossos sapatos?❞

A voz da razão da casa grega, Perséfone é quem coloca todas as coisas na linha. Ao menos, quem tenta colocar as coisas em ordem, o que quase nunca dá certo. Bem, a casa ainda não foi destruída, então, ela se contenta com isso. Tem um amor incondicional pelo marido e pelos filhos, daria até a vida por cada um deles sem precisar pensar duas vezes. Perséfone é uma metamorfomaga, naturalmente, ela tem os cabelos mais claros, mas prefere usá-los num tom mais escuro.


}







{
eros de mileto,

grego • solteiro • 15 anos • bruxo • Grifinória • nanny

❝ser supremo do amor passando, olá linda.❞

Eros é a alma das brincadeiras da casa. O filho mais velho sempre faz questão de lembrar isso aos irmãos, mesmo que a diferença seja de minutos. Não sei dizer se o nome o influenciou ou se ele já nasceu com isso, mas Eros aprecia muito a parte feminina do mundo. Exceto as ruivas, que ele julga excepcionalmente loucas. Contudo, ele sabe a hora em que deve ser sério e deixa o espírito de liderança que ele tem assumir o controle. Ele não assume, mas sempre se sentiu culpado pelo que aconteceu ao irmão do meio, mesmo que o outro não pense da mesma forma.








hades de mileto,

grego • solteiro • 15 anos • bruxo • Grifinória • wendy

❝eu sabia que isso não daria certo, mas alguém me escuta? claro que não.❞

Uma grande onda de pessimismo ronda Hades. Ele nunca foi muito confiante de nada, mas depois do ataque de Lobisomem que sofreu, esse pessimismo natural dele só piorou. Apesar de sempre acreditar que tudo vai dar errado, ele não deixa os irmãos na mão porque, segundo ele, "já que vai dar errado, vou ter que estar lá pra livrar a fuça deles!", então, o que quer que seja, ele topa. Seu humor só muda no período de Lua Cheia, quando ele fica de, como dizem os irmãos, TPM. Nessa época, ele varia de extremamente alegre a lá Eros até a criatura mais depressiva que existe.


}







{
apolo de mileto,

grego • solteiro • 15 anos • bruxo • Grifinória • laura

❝SANTO RABO CÓRNEO HÚNGARO!❞

+DIÁRIO +CORUJA +FICHA
O Mileto mais novo não é Pessimista como Hades nem um Tarado Supremo igual ao Eros, Apolo está mais para O Felizão! Topa qualquer coisa sem nem pensar nas consequencias que pode causar, é amigo da galera, sempre conhece alguém em algum lugar que pode ajudar nas horas mais propícias. Preguiçoso, não fale com ele antes das onze da 'madrugada', charmoso e galanteador, mas é tudo na mais pura (ou nem tão pura assim) brincadeira, ele gosta mesmo é de se divertir. Tem um humor ótimo (menos de manhã) e uma palavra sempre positiva... Afinal, tudo tem um lado bom nessa vida né não?







the hellfire welcomes you by this isn't what nands said @ terra de ninguém 2.0 <3



Última edição por Cronos e Perséfone Mileto em Ter Jan 10, 2012 4:00 am, editado 5 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Sex Nov 04, 2011 11:30 pm

RP FECHADA
Treze de Agosto de 1802
Quinta-feira, tarde, aproximadamente 17:40
Tempo fresco, brisas frias, anoitecendo, Lua Crescente.

PARTICIPANTES:
Dionísio de Mileto
Hades de Mileto
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Sab Nov 05, 2011 1:44 am




advice of brother

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 001




Ok, ok, eu confesso que, depois de dois anos, passar Outubro em casa era estranho. Não estou dizendo que preferia estar em Hogwarts, minha casa era mil vezes mais segura e legal, eu tinha a comida da minha mãe, a minha cama, o meu canto, e sentia saudade até dos vizinhos chatos, quem precisava de Hogwarts?

E depois de todo o reboliço que fizeram no final do ano, prendendo o senhor Godric (o que me surpreendeu MUITO! Poxa, eu achava que ele era um cara legal, e no final das contas, era ele quem estava matando todo mundo?) e fechando a escola, minha teoria de que o único lugar seguro é embaixo da saia da minha mãe comprovou-se correta, mais correta do que a do Eros e de que ruivas são loucas.
Mas enfim, tudo estava bem agora, porque até mamãe acreditava em mim, que só minha linda e bela casa poderia ser segura. Ainda mais com o mundo bruxo meio bagunçado, confesso que essa parte me irritava, porque outro dia eu quis ir até Atenas tomar um sorvete e minha mãe não me deixou ir sozinho. Mas tirando isso, e o fato de que eu só podia conversar com meus amigos através de cartas agora, as coisas estavam indo bem. Estudávamos em casa, com um professor particular, que teve que passar por um loooongo interrogatório da minha mãe para ser aprovado, então era quase como se estivéssemos de férias. Umas looongas férias.

Após verificar minha Poção do Sono (afinal, logo seria Lua Cheia e eu queria ter um bom estoque da poção) e deixá-la cozinhar lentamente em fogo baixo (descobri que isso faz com que o sono fique mais pesado), eu desci do sótão e corri para a cozinha. Minha mãe estava fazendo uma linda salada de frutas, eu roubei um pedaço de melancia e lasquei um beijo na bochecha dela quando aquela mulher linda me olhou feio.

- Um pedaço só não vai fazer falta, mãe. - eu mordi a fatia de melancia e dei de ombros - Aliás, a senhora fica linda com essas mechas brancas, sabia? - mamãe arregalou os olhos.
- MECHAS BRANCAS? QUE MECHAS BRANCAS?! - ela conjurou um espelho tão rápido que eu me assustei, o mesmo ficou flutuando na frente dela, enquanto mamãe dava uma olhada no cabelo, onde alguns fios brancos surgiam - Hades! Olhe o que você e seus irmãos estão fazendo comigo. Estou ficando com os cabelos brancos! - ela me olhou severa e eu dei uma risada.
- Ah mãe, você pode deixá-los escuros de novo, não fique preocupada. Mesmo se você ficar velha um dia, será extremamente linda. Afrodite foi com a tua cara, sabe? - ela revirou os olhos, mas eu sabia que ela tinha gostado do elogio.
- Sei. E pare de roubar melancias, ou não vai sobrar pra salada. - ela me repreendeu quando eu ia pegar mais uma fatia, injusta.

Eu dei de ombros e sai da cozinha, indo para o quintal. Só então notei o quanto nossa casa estava calma. Eros, se não me engano, tinha ido dar uma volta no vilarejo, bem, desde que Hogwarts foi fechada, ele andava meio inquieto, vai saber por que. E Dio... Devia estar dormindo em algum lugar. De qualquer forma, a casa estava quieta, o que era raro.

Caminhei até uma árvore do nosso jardim e subi nela, me acomodando em um dos galhos. Quando éramos menores, tínhamos um projeto de casa ali em cima, que chamávamos de Olimpo de Madeira. Sempre que aprontávamos, nos escondíamos lá, ou quando pegávamos doces escondidos da mamãe e tínhamos que comer antes dela nos ver. Me lembro da vez em que eu quebrei a janela do vizinho, me escondi ali a tarde toda, até o cara parar de me caçar.

Enfim, era um lugar calmo, beeeem calmo mesmo. Tirei um pedaço de pergaminho do bolso (sabe, eu adquiri esse hábito em Hogwarts, é difícil largá-lo agora) e uma pena. Havia prometido para a Bella que escreveria durante as férias, mas ainda não havia mandado nenhuma carta, sentia que ela iria me matar se continuasse enrolando ainda mais.

Mas eu não sabia o que escrever. Cocei meu queixo com a pena enquanto pensava, até que decidi finalmente começar.

"Hey Bella, como vai?
Acho que mal conseguimos nos despedir no final do ano, nem consegui desejar boas férias, então, boas férias. Na verdade, acho que serão férias beeem longas, né? Mas talvez seja bom, você dizia que não gostava de Hogwarts, lembra? Eu também não gostava muito, acho que nós dois estamos melhores em casa.
Como está o Egito? Aliás, você ainda me deve um chapéu de aniversário, não que eu esteja cobrando.

Aracne tem estado meio inquieta "


Ok, por que mesmo eu ia contar sobre a aranha pra ela? Vamos combinar, nem ela gostava muito da aranha (afinal, Aracne havia tentado matar a garota quando se conheceram) e nem a aranha gostava dela (preciso explicar de novo?), então, acho que falar sobre Aracne seria meio desnecessário.

- HAAAAAAAAAAAAAAAAADES! - oh deuses, adeus paz e sossego. Dobrei rapidamente o pergaminho e o guardei no bolso, junto com a pena, e pulei do galho da árvore para o chão, bem na frente do Dionísio, que se assustou. Como ele não me viu lá em cima? - Seu gordo! Não me assusta assim! - eu revirei os olhos.
- O que foi Dio? Pensei que alguém estivesse te matando, pelo jeito que gritava. Aracne te atacou de novo? - é, bem, acho que Aracne, no fim das contas, só gostava mesmo de mim, ela não chegava perto dos meus pais, não sei por que, mas ela atacava meus irmãos sempre que eles tentavam colocar a mão nela.
- Se aquela aranha tivesse me atacado, teria virado oferenda para Atena. - eu revirei os olhos - Enfim, eu queria falar com você. Tá ocupado? Não, que bom. - é, ele não me deixou responder.
- Tudo bem, o que aconteceu? Só vou deixar claro que não vou mentir para a mamãe, se você quebrou, você que assuma a culpa, assim como a culpa do sumiço das uvas. - sim, três cachos de uvas desapareceram misteriosamente de manhã, curioso, não?
- Não é nada disso. É que eu tenho, uhm, umas dúvidas. - pela cara do Dio, a coisa era séria. Fiquei com medo, então achei melhor me sentar, vai que a conversa é longa.
- Certo, o que quer saber? - é estranho alguém vir tirar umas dúvidas comigo, ainda mais o Dio, mas tudo bem, parecia ser importante, né?


tagged: Dionísio de Mileto, Persefone de Mileto wearing: click here notes: então caorl, tá ai, coloquei umas falas, qualquer coisa eu edito.




Última edição por Hades de Mileto em Ter Dez 20, 2011 2:49 am, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qua Nov 09, 2011 11:29 pm



thousands of answers,
for one simple question---_


++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++



Depois que Hogwarts foi fechada, minhas opções de atividades ficaram meio limitadas. Uma hora a rotina de acordar, comer, ver a família, passear/bagunçar no vilarejo, comer, responder cartas e dormir cansa. Não que eu esteja reclamando dessas férias prolongadas, longe disso. Na verdade, tenho até receio de pensar que meus pais comecem a considerar outra escola de magia ou pior, estudos em casa! Eu tô é sentindo falta das confusões da escola, do povo de lá, da comida dos elfos e coisa e tal.

Hoje eu havia decidido passar um tempo com o meu pai. Eu nessa onda de tédio, meio-deprê, meio-Hades não tá pegando bem, sabe? É bizarro até, enquanto eu sofro (exagero) sentindo falta de Hogwarts, o Pulguento só falta saltitar por ai que nem um poodle. Ai ó, tá vendo? Perdi até minha criatividade. Tão estranho, mano.

Enfim, estávamos meu pai, Cronos de Mileto, louco residente do vilarejo (bem, eu tinha que puxar de alguém né), e eu no escritório dele, trabalhando e conversando.

Não, velho, cê não tá entendendo. Acho que peguei pulgas do Hades e to depressivo,” falei, tentando explicar pela terceira vez o meu problema.

Seu irmão não tem pulgas, até onde eu sei, e é normal sentir saudades dos amigos, filho. Chame alguns deles pra passar uns dias aqui, a casa é grande e eu consigo convencer a sua mãe,” ele respondeu enquanto ajustava os últimos detalhes do seu mais novo experimento. “Passa o martelo.

Ainda bem que você admite que a mãe é quem manda por aqui,” comentei e entreguei a ferramenta para ele, “Por que você não termina isso com magia? E o problema é bem esse, eu nem sei quem eu iria chamar.

Mas você e seus irmãos não são... populares na escola? Você deve ter vários amigos,” meu pai tentou me animar, mas não estava dando muito certo. “Porque eu quero fazer do meu jeito. Agora a lixa.

Não te entendo, na boa. Adultos que tem magia e não usam são trouxas,” entreguei a lixa nas mãos dele e continuei falando, “Então, pai, não é esse o problema. Eu não sei quem poderia vir. Tipo, o Dan rasgaria meu convite, a Vic tem o problema com a mãe dela, que aparentemente não confia em mim, e a Gween deve estar presa no castelo dela. Os outros têm planos também, acho. A Pequena Sereia provavelmente tá saqueando navios por ai, também.

Espere, ‘pequena sereia’? Eu sabia que existiam pessoas estranhas em Hogwarts, afinal você foi pra lá, mas sereia não é exagero?” este é meu pai tentando ser engraçadinho. Fail.

Ha ha, hilário. Agora eu já sei de quem eu puxei esse senso de humor estúpido,” resmunguei e dei um peteleco na invenção do meu pai, só de pirraça. “E não, não têm sereias lá, mas tem essa garota, Capitã Ariel, que é uma pirata de verdade! É, tipo, incrível! Ela tem uma espada e um chapéu e um papagaio e um navio e tudo mais e é bonita demais pra você acreditar que ela vive no mar e-

É o amooooor...!” o infeliz cantarolou exageradamente, só pra me irritar né.

Eu te odeio às vezes.

Ah, Dio, acal-

ENFIM! Fui. Te vejo no jantar, pai,” cortei a fala dele, já perdeu o assistente aqui. Só pra ser chato, oi Hadesfeelings, dei outro cutucão no experimento dele e a coisa toda, que eu nem me atrevo a descrever, começou a tremer e do nada, uma mini explosão e fogo. Opa.

Sai correndo do escritório, deixando a bagunça pro meu pai. Ele que se entenda com a mamãe depois, haha.

Resolvendo evitar também a fúria da minha mãe, segui para o jardim. Caminhando por ali, de boa na lagoa, a conversa com meu pai começou a voltar na minha mente. Tá, eu posso ter uma mínima atração pela Ariel, mas definitivamente não passa disso. É! Ou não, sei lá. Preciso de conselhos. Assuntos amorosos, cadê o Eros? Ah, esquece, vai servir o Hadesnildo mesmo, só preciso achá-lo.

Com um novo propósito pra minha caminhada, passei a procurar pelo meu irmão gordo e, pra poupar trabalho, tive a brilhante ideia de gritar:

HAAAAAAAAAAAAAAAAADES!

Claro que como minha família não tem gente normal, o Pulguento surgiu do nada bem do meu lado, que resultou em eu quase virando um soco nele, “Seu gordo! Não me assusta assim!

O que foi Dio? Pensei que alguém estivesse te matando, pelo jeito que gritava. Aracne te atacou de novo?

Se aquela aranha tivesse me atacado, teria virado oferenda para Atena,” respondi com essa falsa ameaça, que na verdade não era tão falsa assim. Tipo, entenda, eu acho criaturas mágicas super esquema, mas essa aranha (de nome super criativo) tem probleminhas, mano. Na boa.

Enfim, eu queria falar com você. Tá ocupado? Não, que bom.” Dito isso, dei uma olhada ao redor pra evitar qualquer pessoa espionando a conversa e sentei no chão.

Tudo bem, o que aconteceu? Só vou deixar claro que não vou mentir para a mamãe, se você quebrou, você que assuma a culpa, assim como a culpa do sumiço das uvas.” Tipo, por que todo mundo acha que fui eu que roubei as uvas? Eu sou um cara esperto, se fosse furtá-las, não deixaria provas e pra falar a verdade, eu também tô preocupado com esse roubo de uvas. Vai que tem um adversário na minha quest por uvas diárias? Claro.

Não é nada disso. É que eu tenho, uhm, umas dúvidas,” respondi pra ele parar de me encher o saco, só agora sentindo um pouco de vergonha. Pedir dicas pros irmãos? Fracasso.

Finalmente, Hades resolveu sentar também, ficando mais sério de repente, “Certo, o que quer saber?

Como eu faço pra explicar a situação? Ah que droga isso, conversa inútil, ideia idiota.

Cara, eu sei que você nem é o mais adequado pra perguntar esse tipo de coisa, mas o Cupido saiu e sobrou você e eu me sentiria o maior otário de todos os tempos falando disso com ele e-” pausa pra respirar, “já deu pra entender.

Eu, ahn, como... Assim, como que cê sabe se gosta de uma garota? Tipo, tem um amigo meu, um amigo hein, que acha uma menina lá da escola muito bonita e maneira e ele queria saber o que fazer... bem, caso ele goste mesmo dessa garota e tals, sabe? Porque ele não sabe, é.

Pontos pro Dio por idiotice, fato.




++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++


this is my rubik's cube



++tagged: cronos; hades;
++interacted: cronos; hades;
++music: rubik's cube - athlete
++notes:ugh, que post horrível, sorry.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Dom Nov 13, 2011 7:30 pm




advice of brother

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 002




Confesso que estranhei um tanto o Dio ter surgido do nada com essa história de que precisava conversar comigo porque tinha, como ele disse mesmo? Ah sim, dúvidas.
Ok, agora que parei pra pensar, Dionísio está sempre com dúvidas, mas se ele precisava conversar sobre elas, era porque a coisa era tensa. Espero, do fundo do coração, que meu irmão não esteja pensando em virar a casaca, seria algo beeeeem estranho, sério.

Enfim, nos sentamos embaixo da árvore, perguntei o que ele queria saber, e eu juro que cruzei os dedos para que as dúvidas de meu irmão fossem algo do tipo "qual uva é melhor, roxa ou verde?".

- Cara, eu sei que você nem é o mais adequado pra perguntar esse tipo de coisa, mas o Cupido saiu e sobrou você e eu me sentiria o maior otário de todos os tempos falando disso com ele e- - ele parou pra respirar e eu engoli em seco. Ó Zeus, eu gosto do meu irmão sendo homenzinho, que eu esteja errado, completamente errado, só desta vez eu torço para estar completamente errado! - Já deu pra entender. - eu pigarreei e concordei com a cabeça. Só espero que eu tenha entendido errado, irmão - Eu, ahn, como... Assim, como que cê sabe se gosta de uma garota? Tipo, tem um amigo meu, um amigo hein, que acha uma menina lá da escola muito bonita e maneira e ele queria saber o que fazer... bem, caso ele goste mesmo dessa garota e tals, sabe? Porque ele não sabe, é. - eu abri um largo sorriso e respirei aliviado. Era só isso? E eu pensando que...

Oh wait, Dionísio está me pedindo conselhos amorosos? SÉRIO? PRA MIM? Onde está o Eros, Ser Supremo do Amor, quando precisamos dele? Tipo, eu sou especialista em afastar as pessoas (mesmo que eu tenha provado pra mim mesmo que não estou fazendo isso direito), não em me aproximar delas.

Eu cocei a nuca e pigarreei de novo. Ok, qual o conselho que eu poderia dar para um garoto como o Dionísio? Na verdade, eu não sou bom com conselhos, na real, imagine então conselhos sobre garotas?

- Ahm, bem... - eu fiz uma pausa de novo, não queria ser um mau irmão mais velho e dizer que não sabia o que fazer também, apesar de tudo, ainda tenho um pouco de orgulho e reputação a zelar (mesmo que eu não saiba qual é esta) - Eu não sou bom com garotas, sabe disso Dio. Maaaas, uhm, acho que quando gostamos de alguém, nós... - eu me calei de novo, o que acontece quando gostamos de alguém? Ah, que ótimo, agora estou me sentindo no mesmo nível de sabedoria que o Dio, não gosto disso.

Certo, quantas experiências com garotas você já teve, Hades? HAHA, nenhuma, ótimo. Bom, tenho amigas, mas elas são... Amigas. Na verdade, sempre acreditei nisso, será que gosto de alguma delas de uma forma diferente? Acho que não, sinto a mesma coisa por todas. OH ZEUS, E SE EU GOSTO DE TODAS? Não, só o Eros faria uma coisa dessas. Ok, pense direito então Hades, você não quer dar um mau conselho, não é? Pigarreei novamente e respirei fundo.

- Olha Dio, diga para seu amigo desistir. Se ele conseguir pensar em outra coisa, qualquer outra coisa, com mais freqüência do que nessa garota, então ele não gosta dela. Caso contrário... - eu dei palmadinhas nas costas do meu irmão - Eínai vidoména - eu segurei o riso, Dionísio apaixonado, e eu achando que o primeiro a se apaixonar seria o oferecido tarado do Eros. Eu dei de ombros e fitei nossa casa - Depois disso, se ele achar que realmente gosta da garota, bom, talvez ele deva tentar achar algo em comum com ela? Sabe, pra conversarem e terem algo pra fazerem juntos. - o que anula todas as garotas do mundo pra mim, eu pensei, mas deixa quieto - E bom, até onde eu entendi, garotas gostam de atenção. Demonstre que se importa com ela, acho que deve funcionar. - eu dei de ombros, e juro que imaginei Dionísio dando uma jarra de suco de uva para alguma garota, mas ok - Mais alguma dúvida? Só que 'cê sabe, tudo tem chances de dar errado, né? - achei melhor me calar, ou iria começar a explicar minha teoria de novo para ele.


tagged: Dionísio de Mileto wearing: click here notes: ¹Ele está ferrado. haha, não gostei, mesmo. qualquer coisa edito.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Cronos e Perséfone Mileto

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 08/06/2011

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Dom Jan 01, 2012 10:30 pm



AÇÕES DO DIA 13 DE AGOSTO
DE 1802 FINALIZADAS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Ter Jan 03, 2012 1:01 am

RP FECHADA
Vinte e cinco de Agosto de 1804
Quinta-feira, manhã, aproximadamente 06:20
Clareando, ventos frescos, tempo quente.

PARTICIPANTES:
Eros de Mileto
Hades de Mileto
Apolo de Mileto
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Ter Jan 03, 2012 2:04 am




the arrival of the letter

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 001




Confesso que não sou de levantar cedo, mas sempre na semana seguida a da Lua Cheia, eu perco o sono. Sei lá, dá cinco da manhã e eu não consigo mais ficar na cama dormindo. Logo, eu estava lá na cozinha, assaltando o armário da minha mãe, já que comer dá sono e dormir dá fome, então eu estava morrendo de fome.

Eu montei um lanche simples, e estava indo preparar meu copo de leite quando ouvi uma batida no vidro da janela. Não sou medroso, mas uma batida na sua janela às 6:00 da manhã de uma Quinta-feira num bairro trouxa, é meio estranho, não? E o ser inteligente aqui havia deixado a varinha debaixo do travesseiro, é, eu sou uma anta tão lerda quanto o Apolo. Logo, me muni da melhor arma que eu poderia ter em mãos: uma frigideira.

Ouvi outra batida no vidro e puxei a cortina rapidamente, mas não havia nada. Eu abri uma frestinha da janela, e dai um ser enorme preto do Submundo entrou voando na cozinha de casa, derrubou os pratos de parede da minha mãe e deu um piado agudo. Uma maldita coruja!

- Hey! Volte aqui, ave do inferno! - mas aquele animal não queria me ouvir, só que logo em seguida, outra coruja entrou voando, e outra logo atrás dela. Oh deuses, Atena, você está brava comigo? Por acaso estou sendo um mal aluno? Por que me enviastes tantas corujas? O que me faz lembrar... - DI IMMORTALES! ELAS VÃO COMER ARACNE! - eu sai derrubando cadeiras e mais pratos pra correr pro meu quarto, que foi pra onde as corujas seguiram.

Acho que acordei a casa toda, e deixo claro que eu não tinha isso em mente, ok? Quando cheguei no quarto, as corujas bicavam a cabeça dos meus irmãos, que resmungavam. Uma delas estava pousada na cabeceira da minha cama, vigiando minha aranha dentro do aquário dela. Eu peguei uma meia suja do chão e joguei na coruja.

- Hey! Ela não é seu café da manhã! - eu gritei pra coruja, que veio voando bicar minha cabeça, eu hein, animal vingativo. Eu tentava me desvencilhar dela, assim como meus irmãos que tentavam processar a ideia de estarem sendo acordados por corujas assassinas - Eu disse pra vocês que Atena ficaria nervosa conosco! Mas alguém me ouviu? NÃO! - eu peguei um livro e coloquei sobre minha cabeça, a coruja me bicou os dedos, e só quando ela veio tentar me bicar o nariz, eu vi que havia uma carta amarrada na pata dela. E aquele simbolo... - Ow, isso não é... AI! PARA DE ME BICAR, AVE INFERNAL! - eu agarrei a ave e a segurei, só então ela ficou calma e estendeu a patinha pra mim. Desprendi a carta de sua pata e quase desmaiei quando consegui ver o simbolo que havia nela.



tagged: Eros de Mileto, Apolo de Mileto wearing: don't click here notes: sei começar ação não, mas qualquer coisa edito, ok?



Última edição por Hades de Mileto em Sex Fev 10, 2012 11:57 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Apolo de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 14
Data de inscrição : 29/12/2011

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 3
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Ter Jan 03, 2012 3:55 pm



The letter
from Hogwarts---_


Eu estava esticadão no meu tapete mágico marrom bombom (?) enquanto testrálios alaranjados voavam ao meu redor, ao meu lado um POTE MEGA PLUS ADVANCED TOTAL FLEX de alcachofras, porque eu meio que amo alcachofras. E chovia cerveja amanteigada, de repente eis que surge ela... a magnífica, a estupenda, a totalmente sensual casa comigo senão eu morro Senhorita Bridget McNach futura MacNach de Mileto dançando a Macarena dos Gnomos Selvagens... SÓ PRA MIM!!!! E quando eu me preparava para agarrar aquele tanto de mulher ALGO QUASE ARRANCOU MEU OLHO ESQUERDO! AAAAAAAAAAI CACEEETEE! Mais que porr..

- Senhorita Bridget continua dançando eu vou... AAI... AAAAAAAIII! – abri os olhos e o que eu vi não foi definitivamente nada agradável. – AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! – berrei desesperado agarrando aquele bolo de penas e o jogando em cima do Eros na cama ao lado. Acordar vendo a bunda penosa de uma coruja bem na sua fuça não faz nada bem para sua saúde mental. – MAS QUE GRANDE PORCARIA É ESSA? – me sentei piscando os olhos repetidas vezes enquanto atrapalhava os cabelos tentando tirar aquelas penas dos meus cachinhos u.u NINGUEM ENCOSTA NOS MEUS CACHINHOS u.u.

– Haaaaaaaadesssss... – o encarei dizendo seu nome lentamente enquanto aquela ruga de ódio mortal ‘sai correndo daqui senão eu arranco seus olhos e frito eles com azeite de oliva extra-virgem’ surgia na minha testa. – Você ta querendo me dizerrr que a Atena formou UMA GANGUE DE CORUJAS DA BUNDA GORDA PRA ATACAR A GENTE AS... AS... – me estiquei pra enxergar o relógio do corredor. – AS SEIS E MEIA DA MADRUGADA??? Hades você cheirou aquele pó-de-flu de novo? – saltei ficando de pé na cama e agarrei a coruja assassina com o travesseiro vendo Hades tirar uma carta da coruja dele enquanto o Eros rolava com a outra cama a fora, numa luta corporal que definitivamente devia ser registrada para chantagens futuras -6. – Meeee daaaa a minha cartaaaaa... Esse bichooo ta possuídoooo!– agarrei a carta tirando da patinha da coruja e abri a janela a jogando pra fora. – Não pode ser... – voltei a me sentar na cama olhando por longos segundos aquele símbolo. – SANTO RABO CÓRNEO HÚNGARO! – rasguei aquele envelope na velocidade da luz ao cubo da hipotenusa da raiz quadrada do batedor da direita e mal pude acreditar no que tava escrito nela.

– HOGWARTS VOLTOOOOOOOOOOOOOOOOOOOU! – berrei dando um empulso e me jogando em cima do Hades caindo sobre o Eros consequentemente e rolando em cima dos dois. – AAAAAAAAAAAAHÁ FINALMENTE!!! – me estiquei abrindo um sorriso idiota imaginando o que eu poderia fazer naquele castelo enorme *-*. – Aquela maldita roubou minha meia... – resmunguei só então sentindo um friozinho no dedão. – Oi mãe. – sorri ao ver minha linda doce e esbelta mãe surgir com a cara amassada na porta do quarto. – Foi o Hades.

Off.
O PRIMEIRO O.O nao sei se ficou bom auhhauuha mas enfim...
to treinando :*
Off.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Eros de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 220
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 4
Defesa: 2

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Seg Jan 09, 2012 4:27 pm





Today I don't fell like doing anything!

No, I ain't gonna comb my hair, 'cause I ain't going anywhere! I'll just strut in my birthday suit, and let everything hang loose!!




Mais uma noite correndo pra casa, e dessa vez não estava fugindo de ninguém. Havia bebido com uns companheiros do bairro e depois caí nos braços de uma linda grega que mora a cidade vizinha, sim eu fui parar a cidade vizinha e meus irmãos nem sonhavam com isso. Primeiro por que nem eu tinha planejado, segundo por que Apolo é preguiçoso e Hades pessimista, então nunca queriam ir comigo, por isso parei de chamar.

Enfim, pulei a janela com cuidado pra não acordar aquele dois, não queria dar mais motivos pra essas amebas usarem contra mim no tribunal, ou eu ficaria totalmente sem dinheiro pra encher a cara futuramente. Como sempre tirei a roupa e joguei debaixo da cama, minha linda, maravilhosa, macia, ampla, quente e maravilhosa cama na qual eu me deitei, puxei a coberta e me entreguei ao sono.

Meia hora depois.


Ouvi um barulho vindo do andar de baixo, mas a preguiça era tanta que eu apenas puxei mais a coberta pra minha cabeça e me virei para o lado, era só coisa da minha imaginação e nada está acontecendo. “Volte a dormir, volte para os meus braços” ouvi a voz de Afrodite.
- Claro minha deusa maravilhosa, claro... Eu estou indo, espere por mim. – Resmunguei já vendo a imagem dos meus sonhos voltando a minha mente, quando o som de asas invadiram meus sonhos. Desde quando existem corujas no olimpo? Mas que... Senti alguma coisa puxando a minha coberta e puxei de volta, só pode ser brincadeira! Levei uma bicada no meu dedo e então reconheci aquele pio.

- Atena agora não, deixa o papai dormir. – Bocejei e a coruja continuou a bicar a minha cabeça, mas o que deu nessa menina? Tá que ela anda muito brava ultimamente, nunca pensei que fosse ter tanso ciúmes, mas foi ela que se casou e me trocou primeiro.
Logo os gritos histéricos de Apolo invadiram o quarto, me fazendo ter uma vontade mortal de enfiar uma meia naquela boca grande do infeliz mal amado.
- Mas que porra é essa? Da pra você fechar esse bico seu... – Dizia enquanto empurrava a coberta, mas assim que me sentei vi uma coruja voando na minha direção, a coruja que aquele INFELIZ DO APOLO tacou em mim, aquela peste quer morrer? A coruja começou a bater as asas em cima de mim e bicar a minha testa, com muito sacrifício me livrei dela e notei Atena parada, me olhando com seu ar snobe.

- Mas você anda muito abusada senhorita... E POR QUE VOCÊ TA GRITANDO SUA MULA? HADES SUA BOLA DE BANHA, POR QUE VOCÊ NÃO É CAPAZ DE FICAR QUIETO DE MANHÃ? – Berrei pronto pra tacar a primeira coisa que visse na cabeça dos meus irmãos, quando percebi que havia algo na pata da coruja, e Apolo – pra variar um pouco – berrou desesperado e pegou a carta, eu me levantei pra ver o que era, mas me arrependi disso.
Aquele segundo mais gordo da casa, tratou de pular em Hades se desiquilibrar e me levar junto. ZEUS, O QUE EU FIZ DE ERRADO? AFRODITE, POR MAIS QUE EU FIQUE COM OUTRAS, VOCÊ É A ÚNICA PRA MIM. Eu juro amor eterno a minha deusa e tudo o que eu ganho? Meus irmãos gordos me esmagando em plena madrugada.

- Eu... Vou... Matar... Vocês. – Resmunguei sentindo a força esvair do meu corpo, enquanto minha cara estava colada no chão de madeira. Finalmente consegui respirar e aqueles infelizes saíram de cima de mim, claro mamãe estava ali! Me ergui e sorri pra mulher da minha vida, apontando pra Hades também.
- Com certeza foi ele quem começou, mas o Apolo que fica gritando que nem uma bixa. – Completei fazendo careta e levando uma almofadada do infeliz, mas deixa esse traste comigo... Deu sorte que meus reflexos estão lentos.

Levantei e fui até Atena enquanto escutava mamãe dizer pra sermos legais uns com os outros, tirei a carta de sua pata e me joguei na cama, vendo que era realmente Hogwarts e nenhuma alucinação por pó de fluo do Apolo ou que a banha de Hades havia atingido seu cérebro, menos mal.
- Legal, Hogwarts vai voltar... “Eeeee” agora vou dormir. – Comentei tacando a carta para o ar e me jogando na cama, EU PRECISAVA DORMIR. Por que logo nos dias que eu escolho pra ficar fora de madrugada, algo tem que acontecer e devo acordar cedo? Sério... Só Zeus pra salvar minha alma.
- Espera, Hogwarts a escola vai voltar? Vai reabrir e coisa e tals? – Minha ficha caiu, sou bem lento quando fico sem dormir, entende?
- UAAAAAAAAAAAH! GAROTAS, MUITAS GAROTAS, BANQUETES, GAROTAS, FESTAS, GAROTAS, PASSAGENS SECRETAS, GAROTAAAAAAS! – Sim, eu havia pulado da cama e estava correndo de um lado pro outro enquanto sacudia os meus braços, virei e dei de cara com a minha mãe com os braços cruzados e o rosto vermelho de um jeito muito amedrontador.

- EROS DE MILETOOOOOOOOO! – Opa, já disse que ela morre de ciúmes de mim e dos meus irmãos? Pois bem, ela é pior do que a pessoa mais ciumenta que você poderia imaginar na sua vida.
- Ma-mãe, eu estou brincando. Claro, não existe no mundo criatura mais preciosa, linda, angelical e capaz de ter o meu coração do que você! Ó minha deusa maravilhosa, luz dos meus olhos. – Dizia isso enquanto a abraçava, por sorte ela sempre derrete com esse meu discurso.
- Já que vocês acordaram cedo, vou fazer o café. – Ela deu de ombros e desceu as escadas ainda emburrada, acho que a minha alegria a fez lembrar que Hogwarts vai está cheio de garotas e nós vamos está sem ela por perto pra espanta-las, demais! Quando mamãe fechou a porta do quarto eu me joguei no chão.
- Essa foi por pouco... Tão cansado e... Que cara de bunda é essa Hades? Hogwarts abriu cara!! É motivo de festa, vou beber a noite toda. Apolo nós temos que montar um plano de ação, a gente está voltando cara temos que chegar com tudo. Só que mais tarde, agora vou dormir. SUMAM! – Completei me arrastando pelo chão até alcançar a minha cama, subindo nela com dificuldade e me jogando lá, ninguém me tira dali.



Informações Extras!

Tag: Apolo, Hades e Perséfone de Mileto
Post: 001
Vestindo: Cueca Boxer, ui q
Notas: Então, desculpe a demora e que ficou essa porcaria. Qualquer coisa me avisem que eu edito sem problemas. :*

Template Nany *-*




Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qua Jan 11, 2012 1:44 am




the arrival of the letter

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 002




Confesso que ser castigado por um bando de corujas só porque fui assaltar a cozinha não estava em meus planos. Atena, por que és tão má comigo? Eu invadi meu quarto, as corujas também, e agora rolava a maior guerra do mundo entre trigêmeos Mileto e corujas enviadas do Submundo.

– Você ta querendo me dizerrr que a Atena formou UMA GANGUE DE CORUJAS DA BUNDA GORDA PRA ATACAR A GENTE AS... AS... – ele checou o relógio, adoro Apolo e seu humor maravilhoso matinal – AS SEIS E MEIA DA MADRUGADA??? Hades você cheirou aquele pó-de-flu de novo? - eu joguei uma meia do chão na cara dele.
- Não, você acabou com ele todo ontem, lembra? - ótimo, agora estou de mal humor também. E COM FOME! Malditas corujas!
- E POR QUE VOCÊ TA GRITANDO SUA MULA? HADES SUA BOLA DE BANHA, POR QUE VOCÊ NÃO É CAPAZ DE FICAR QUIETO DE MANHÃ? - eu nem faço nada e tomo xingo, olha só que lindo.

Enfim, o ponto principal é o seguinte: AS CORUJAS NOS TROUXERAM CARTAS DE HOGWARTS!
Tipo, Hogwarts! A escola maravilhosa que estava fechada E FOI ABERTA NOVAMENTE! QUE PRESENTE MARAVILHOSO O OLIMPO NOS ENVIOU! mas claro, toda boa notícia tem um preço, E A COISA PESADA E DESENGONÇADA DO APOLO SE JOGOU EM CIMA DE MIM, eu tombei pra cima do Eros e um bolo Mileto foi rolando pro chão, e eu nem queria saber de quem era o maldito pé que cutucava meu ouvido esquerdo!

- Eu... Vou... Matar... Vocês. - eu empurrei aquele peso copiado de cima de mim, queria espaço, liberdade, e não um pé na minha boca! Por que só eu tenho um humor legal de manhã, uhm? Finalmente conseguimos nos separar, e o Apolo ainda estava dando um ataque de pelancas de felicidade, Eros estava com cara de bunda murcha, e minha mãe estava com os cabelos bagunçados e os olhos arregalados olhando a bagunça animal do quarto. Espera, minha mãe?
– Oi mãe. – ok, agora estamos ferrados, vamos ter que arrumar o quarto de estômago vazio – Foi o Hades. - eu arregalei os olhos, O QUE AQUELA ANTA DE CACHOS ESTAVA FAZENDO?
- Com certeza foi ele quem começou, mas o Apolo que fica gritando que nem uma bixa. - eu cruzei os braços e revirei os olhos.
- Obrigado pelo amor de irmão. - eu chutei a canela do Apolo, que deu uma almofadada no Eros. Eu sai impune, estou feliz, HAHA'

Eu sentei em minha cama pra ler minha carta, enquanto minha mãe falava pra sermos legais uns com os outros, ela repete isso há 15 anos, é melhor ela gravar logo e e botar pra tocar, do que ficar repetindo e repetindo.

- Então, mãe, a culpa NÃO foi minha! Chegaram as cartas de Hogwarts. - e mais rápido do que um trovão, minha mãe arrancou a carta de minha mão pra checar. Claro mãe, vamos trollar o filho do meio, o que há de mal nisso? Eu estava lendo a carta junto com a minha mãe, imaginando se era verdade, ou só uma pegadinha, porque vai saber, né? Tipo, dois anos é muito tempo.
- UAAAAAAAAAAAH! GAROTAS, MUITAS GAROTAS, BANQUETES, GAROTAS, FESTAS, GAROTAS, PASSAGENS SECRETAS, GAROTAAAAAAS! - acho que a ficha do animal do Eros caiu, porque aquele estranho corria feito uma garota e pulava pelo quarto todo. Eu arregalei os olhos e tentei não rir quando ele deu de cara com a mamãe. Toma trouxa exibido. Ele bajulou a mamãe, o que é truque baixo, e dai ela foi lá preparar o café, minha deusa linda e perfeita.

Maaas, enquanto ele puxava o saco da mamãe e o Apolo ainda fazia coisas sem sentido, eu comecei a pensar. Hogwarts seria reaberta, mas eu deveria voltar? Quero dizer, eu confio nos fundadores, na capacidade deles, e sei que se Hogwarts vai reabrir, é porque eles são fodas e podem fazer isso. E agora, com a "organização" que está o mundo bruxo, um Lobisomem voltar a estudar é seguro? Certo que ninguém da escola sabia que eu era um Lobisomem, apenas professores e fundadores. E se até mesmo eu havia recebido a carta convite, então era por que não haveria problema eu voltar, não é? Mas não sei, tudo está tão perfeito agora em casa, estou seguro, as pessoas estão seguras, por que eu deveria colocar tudo isso a perder? Quero dizer, só meus pais e irmãos sabem de minha doença, eu não seria caçado, não é? Não pela minha própria família, pelo menos. E eu sei que eles nunca fariam nada para me prejudicar, logo, voltar para Hogwarts está fora de cogitação, decidido.

- Essa foi por pouco... Tão cansado e... Que cara de bunda é essa Hades? Hogwarts abriu cara!! É motivo de festa, vou beber a noite toda. Apolo nós temos que montar um plano de ação, a gente está voltando cara temos que chegar com tudo. Só que mais tarde, agora vou dormir. SUMAM! - eu fui expulso do meu quarto, é isso?
- Claro, só que quando você entrar pela janela essa noite, pode fazer menos barulho, Eros? - eu joguei meu travesseiro na cabeça dele, mas aquele escroto nem se moveu, já que tinha morrido na cama - Ok, Apolo, eu vou tomar banho, tente acalmar os ânimos, ok? Preciso pensar sobre isso de voltar pra escola. - eu dei de ombros, catei a primeira toalha e cueca que vi e fui pro banheiro. Preciso de um plano agora.



tagged: Eros de Mileto, Apolo de Mileto wearing: don't click here notes: nossa mano, que post horrivel! desculpem meninas, qualquer coisa eu edito, ok? ações finalizadas

Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qua Fev 08, 2012 10:26 pm

RP FECHADA
Vinte e cinco de Dezembro de 1804
Domingo, manhã, aproximadamente 9:30
Tempo frio, céu fechado, nevando.

PARTICIPANTES:
Agatha Bittencurt
Hades de Mileto
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qua Fev 08, 2012 11:38 pm




xmas with the girlfriend

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 001




Peguei a caixa de presente e silenciosamente eu deixei meu quarto com Eros e Apolo babando feito duas crianças. Foi meio, uhm, difícil convencer minha mãe a me deixar trazer Agatha para passar o Natal conosco, mais difícil ainda foi fazê-la acreditar que eu estava namorando. E duas vezes mais difícil foi convencê-la a poupar todo o interrogatório constrangedor que ela dizia que faria. No final das contas, minha mãe passou o dia inteiro fazendo perguntas para Agatha da mesma forma, e eu juro que tive que arrastar Agatha para fora de casa quando minha mãe começou a ter um ataque e dizer coisas como "Meu bebê está mesmo crescendo. Ele está mesmo. Querida, quer ver como ele era uma fofura quando tinha três aninhos?", então, antes que minha mãe mostrasse aquela foto para Agatha, eu a levei para conhecer a vila.

Mamãe havia providenciado um bom quarto para a garota. Legal que foi só eu trazer minha namorada para casa que ela logo tratou de mexer sua varinha e fazer um quarto novo brotar da terra, né? Agora, quando dizemos que não cabe mais três garotos gregos no mesmo quarto, ela reclama e diz que conseguimos nos virar.

Eu empurrei suavemente a porta do quarto de Agatha, ela rangeu um pouco, mas a menina não acordou, apenas virou-se na cama. Com passos planejados, eu caminhei até ela e fiquei parado de pé ao seu lado, só a olhando, com um sorriso no rosto. Algumas mechas de cabelo cobriam metade do rosto dela, e o restante estava todo embaraçado. Estava frio, e a menina havia se enrolado com o cobertor até o queixo, praticamente. Ela estava tão bonitinha dormindo, tão calma, que por alguns segundos tive pena de acordá-la. Alguns segundos, claro.

- It's time to get up, in the morning, ine the morning, in the morning - eu comecei a cantar baixinho, enquanto me inclinava pra chegar mais perto dela, a garota franziu levemente a testa - Got mcdonalds breakfast for you, just for you, or any other brand. - eu coloquei as mechas de cabelo dela para trás de sua orelha, e a menina moveu-se meio incomodada na cama, eu dei um sorriso e tentei não rir - We drove two miles to get it, so you better get up and eat it. You don't wanna be a selfish laz. - eu me debrucei sobre ela, tentando cantar de forma baixa e doce, a menina não pareceu incomodada, mas a melhor parte da música viria agora, eu dei um impulso e pulei na cama da garota - SO WE GOTTA GET UP! TIME TO GET UP! IT'S TIME TO GET UP, IT'S TIME TO GET UP, IT'S TIME TO GET UP! IT'S TIIIIIME TO GET UUUUUUUUP! - eu comecei a cantar gritando enquanto pulava na cama da garota, que gritava e tentava me acertar com o travesseiro, sorte que a cama era até que grande, então não caí de boca no chão. Com um último pulo, eu caí sentado ao lado dela, a abraçando com força e dando um beijo estalado na bochecha dela - It's tiime to... geeeet uuuup... - eu cantei mais baixo, e a menina me acertou um monte de tapas e travesseiradas enquanto eu dava risada. Enquanto ela reclamava e ainda tentava me estapear, eu segurei as mãos dela e as beijei, ainda dando risada - Desculpe Aggie, eu precisava fazer isso. - eu só soltei as mãos da garota quando me certifiquei de que ela não iria tentar me quebrar de novo - Aliás, bom dia e feliz Natal. - eu sorri e rolei por cima dela para pegar o presente que havia deixado no chão do outro lado da cama. Eu me sentei na mesma e estendi o presente para ela - Seu primeiro presente. É simples, vou avisando. - eu dei de ombros e passei um braço pelo ombro da garota enquanto ela abria o embrulho vermelho.




tagged: Agatha Bittencurt wearing: click here e o polyvore é uma bitch e não me deixou recortar, mas a camisa que ele veste é essa notes: todos sabem que não sei começar ações, mas qualquer coisa eu edito. e a música ali ;x

Voltar ao Topo Ir em baixo
Agatha Bittencurt
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 270
Data de inscrição : 09/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 4
Defesa: 2

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Sab Fev 11, 2012 1:54 am




a different christmas, 1

I just want you for my own more than you could ever know..

Era o primeiro natal que eu passava longe da mamãe e de Elza, isso era triste, eu estava com saudades. Elza tentou usar todas as táticas para me fazer ficar, e a de que ela faria todos os tipos de sobremesa me deixou realmente tentada a aceitar a proposta, mas haviam melancias e um namorado em jogo, então eu fui pra Grécia congelar e morrer.
Falando em Grécia, ela era bem diferente do que eu achava. Que eu me lembre os livros contavam daquele povo esquisito saindo semi nu na rua,sacrificando pessoas em oferenda aos deuses e mais um montão de coisas esquisitas. Na verdade, ela era muito parecida com a França ou com o Brasil.
O segundo arrependimento surgiu quando a mãe dele veio com “De onde você vem? O que você faz? Você gosta do que? Você tem alguma doença? Você sabe limpar? Você sabe cozinhar? Você é virgem?”, não sei qual foi mais assustadora, essa última ou a de cozinhar. Mas apesar disso, ela era legal, receptiva e uma ótima cozinheira.
Quando Hades foi lá em casa e não conseguiu dormir eu tirei sarro dele, o que eu não sabia é que era realmente difícil dormir fora de casa, e isso fez eu me revirar praticamente a noite inteira na cama e só conseguir dormir umas três horas depois do que devia.
Meu sonho estava sendo MUITO esquisito. Era sobre uma sereia chamada Ariel, ok hora de parar e refletir, Ariel+mar+sereia=aceitável, Ariel+mar+sereia+peixinho fofinho+príncipe+final feliz=você comeu muito antes de dormir Agatha, MUITO mesmo. O incrível é que no sonho você observa, mas eu “senti” que estava sendo observada também, era uma sensação esquisita, aí então uma mosca resolveu aparecer e ficar fazendo um barulho irritante, ou era um sonho em alta tecnologia e aquilo era a trilha sonora. -SO WE GOTTA GET UP! TIME TO GET UP! IT'S TIME TO GET UP, IT'S TIME TO GET UP, IT'S TIME TO GET UP! IT'S TIIIIIME TO GET UUUUUUUUP!!- senti um mini ataque cardíaco e levantei assustada olhando ao redor e depois para o ser irritante que pulava na minha cama. Sabe, muitas acordam com um café na cama, com uma mensagem bonitinha, com um beijo no rosto, eu tenho que ser acordada com um namorado possuído por algum demônio maligno vindo das profundezas do inferno pulando na minha cama em plena... madrugada? Sei lá quanto tempo eu dormi – HADES O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO!?!? EU DEMOREI TANTO PRA DORMIR! TANTO! DÁ PRA OUVIR OS RONCOS DE VOCÊS TRÊS DAQUI! ENTENDEU?! DOS TRÊS E ISSO NÃO AJUDOU EM NADA!- taquei o travesseiro no garoto que parou de pular e sentou me abraçando - It's tiime to... geeeet uuuup... – Não, pode me largar, estou irritada agora.- soquei a barriga dele várias vezes o afastando, e pareceu, não, não apareceu, doeu mais em mim do que nele - Desculpe Aggie, eu precisava fazer isso. – Não precisava não.- fiz um biquinho e bocejei sentindo tudo ficar embaçado – Vou passar o dia inteiro assim por sua causa, você é o menino menos hospitaleiro da face da terra sabia?- apoiei o rosto nas mãos ainda olhando feio para ele - Aliás, bom dia e feliz Natal. – era natal, eu tinha esquecido disso, espera, eu esqueci do natal, devo estar com muito sono mesmo - Seu primeiro presente. É simples, vou avisando.- desfiz o embrulho e abri a caixa deixando o chocolate lá dentro e puxando um urso – É tão fofo! Obrigado. Agora, o seu.- me apoiei no chão e puxei a caixa preta – Você disse primeiro presente, foram dois aqui, devem ser três. Eu só comprei dois, tecnicamente quatro... Mas vamos lá, esse é por você ter entrado no time.- empurrei a caixa maior -E esse aqui- entreguei outra caixinha – É porque você não vai me arrastar pra essa tortura e também não quero que você vá sozinho, eu NÃO estou com ciúmes tá? Então comprei pros seus irmãos também.- mordi o lábio e esperei qualquer sinal de desapontamento que ele desse, afinal eu nem sabia o que estava comprando direito, eu havia esquecido o nome do time, aí disse pro moço que tinha comida no nome, e nós dois chegamos a conclusão de que quadribol é um grande banquete, mas enfim.
Hades ficou ali parado com um olhar esquisito, pareceu em choque, pra falar a verdade eu já estava meio acostumada com isso, qualquer coisinha e ele parecia ter comido feijãozinho azedo e travado o corpo inteiro, o que geralmente acontece comigo quando como um. Tombei novamente no travesseiro e puxei o cobertor, o sono ainda me incomodava, e se ele fosse ficar daquele jeito eu podia ao menos tirar uma soneca.
Eu estava quase pegando no sono quando senti a cama balançar novamente. Hades pulava euforicamente balançando os ingressos e a camisa, meninos, nunca vou entender isso – Sério, não vai me deixar dormir? Nem depois dos presentes?- me sentei encostando a cabeça na cabeceira (em? .lind), ele se abaixou e eu sorri enlaçando seu pescoço com os braços – Que bom que gostou.- então ele deu vários beijos na minha bochecha e um à la galã de história, me surpreendi com isso. E enquanto ele ainda me beijava daquele jeito eu me senti quente, é quente. Mas é claro que com a sorte que eu tenho algo errado tinha que acontecer. A porta do quarto foi escancarada e eu vi a silhueta de uma mulher aparecer, Hades rolou para o lado e levantou as mãos num sinal meio que de paz, os olhos dele estavam arregalados, não que os meus estivessem diferentes, ou os da senhora Mileto, mas o dela era um arregalado psicótico e o meu um arregalado vou morrer. Ela falou algo esquisito e saiu literalmente arrastando o menino para fora do quarto, dando um sorriso “simpático” e batendo a porta, eis um exemplo de pessoa sem açúcar na vida. Acho que eu não podia fazer nada né? Abracei o urso e voltei a dormir.

Bem, depois de ser: macetada, fuzilada, pregada, amassada, soqueada, chutada, esfaqueada, baleada, espancada, triturada, macerada e queimada na fogueira do inferno pelo olhar da mãe de Hades durante o café, nós tentamos passear, tentamos, porque ela acabou nos seguindo. Na verdade, no meio do dia eu havia chegado a conclusão de que a distancia média que eu tinha que ter do garoto era de uns 3 metros. Até que ela saiu para comprar não sei o que, e ele basicamente me arrastou pra fora dizendo que tinha uma surpresa, e eu odeio surpresas.



…make my wish come true, all I want for Christmas, is you



# tagged Hades, Perséfone
#clothes olá
#notes quanto aos presente, você sabe que eu e o photoshop estamos constantemente em guerra, então finja que são lindos e glamurosos G.G avisa qualquer coisa :3

coded by FLÁ! @ terra de ninguém 2.0 <3


Última edição por Agatha Bittencurt em Seg Abr 09, 2012 3:36 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qui Fev 16, 2012 1:25 am




xmas with the girlfriend

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 002




Eu sabia que acordar a Agatha fazendo baderna poderia ser algo potencialmente perigoso, mas eu não pude me conter. Era divertido deixar a Agatha irritada, sei lá eu o motivo. Então achei melhor entregar logo o presente dela antes que a loira me cortasse a cabeça fora.

– É tão fofo! Obrigado. Agora, o seu. - eu dei um sorriso. Acho que a Bella estava certa então, ursinhos de pelúcia sempre resolvem. A segunda parte do presente seria mais tarde, quando tudo estivesse preparado. A menina puxou uma caixa preta debaixo da cama e eu sorri de canto enquanto a olhava – Você disse primeiro presente, foram dois aqui, devem ser três. Eu só comprei dois, tecnicamente quatro... Mas vamos lá, esse é por você ter entrado no time. - eu fiquei confuso com o que a menina disse, ela me empurrou a caixa maior e antes que eu pudesse abrir a mesma, ela voltou a falar - E esse aqui - ela me entregou uma caixa menorzinha e eu levantei uma sobrancelha – É porque você não vai me arrastar pra essa tortura e também não quero que você vá sozinho, eu NÃO estou com ciúmes tá? Então comprei pros seus irmãos também. - eu segurei uma risada e comecei a abrir as caixas, começando pela maior.
- Certo então, garota sem ciúmes. - eu soltei um risinho baixo e então fiquei estático quando tirei a tampa da caixa.

Dentro dela havia uma linda, maravilhosa e sem sombra de dúvidas divina camisa vermelha. O melhor de tudo era o que estava bordado nela: meu nome. E logo embaixo dele, os números "02", minha posição no time de Quadribol da escola. Era. Uma. Camisa. PERFEITA! Eu não tive uma reação, porque vamos lá, você ter uma camisa de Quadribol com o time que você torce é uma coisa, ter uma camisa de Quadribol com o SEU nome nela é algo totalmente diferente!

Eu abri a outra caixinha e foi aí que eu tive certeza que estava na casa errada e com a namorada errada. Não podia ser verdade, talvez fosse uma brincadeira da Aggie, porque ela não podia ter simplesmente descolado TRÊS INGRESSOS PARA A COPA DE QUADRIBOL! Não, vamos lá, isso é real? Claro que não.
NÃO CARAMBA, ERA REAL SIM, Ó MEU BOM ZEUS, EU VOU, EU VOU...

- WOOOOOOOOOOOW CARA, ISSO É DEMAIS, EU NÃO ACREDITO NISSO, COMO VOCÊ CONSEGUIU ISSO? OH MEUS DEUSES, MEUS DEUSES! EU ESTOU, EU ESTOU, EU ESTOU, AAAAAAAAAH CARAMBA, OLHA ISSO, OLHA ISSO! - eu corria pelo quarto, erguendo os bilhetes e sacudindo a MINHA camisa, eu voltei para a cama e comecei a pular nela novamente, e acho que acordei a Agatha mais uma vez, opa.
– Sério, não vai me deixar dormir? Nem depois dos presentes? - a menina sentou-se e eu dei uma risada, pulando para fora da cama.
- Como consegue dormir agora? Eu não vou dormir por um mês! - eu dei um sorriso e me debrucei sobre a cama novamente, Agatha passou os braços pelo meu pescoço e eu me sentei na cama, tentando ficar de frente para ela, enquanto envolvia a cintura da garota com os braços - Não poderia existir presente melhor do que estes. Obrigado, Aggie. - eu abri um grande sorriso para a loira enquanto colocava uma mecha do cabelo dela para trás da orelha.
– Que bom que gostou. - eu dei uma risada baixa e então fiz um ataque de beijos nela. Eu beijava e mordia a bochecha da menina, e estava uma coisa divertida, e quando eu ia começar a beijá-la de verdade, PIMBA! Obrigado Hera, muito obrigado.

Não há nada pior do que a sua mãe te pegar num quarto sozinho com sua namorada. Vocês viram que não estávamos fazendo nada, mas claro que para a dona Persefone de Mileto não importava. Eu rolei para fora da cama da Agatha e ergui as mãos em sinal de paz e inocência. Eu sou o menino puro da casa, eu sou o menino puro da casa, anda mãe, lembre-se disso, acredite em mim. Ok, a cara dela não me convenceu, ainda hoje estarei no Submundo, vão vendo.

Eu só tive tempo de pegar meus presentes antes da mamãe agarrar a minha orelha e começar a me puxar para fora do quarto (uma ótima cena para sua namorada ver, claro), praguejando em grego. Ela bateu a porta com tanta força que imaginei que a casa fosse desabar.

- OUCHT! Mamãe, vai arrancar a milha orelha! - eu resmungava, enquanto tentava me soltar, ou andar mais perto dela, para o puxão doer menos.
- Primeiro traz a menina. Depois entra no quarto dela. Hades de Mileto, eu devia era tirar o seu couro, menino! - e depois disso, ela continuou praguejando em grego, e acreditem em mim, nem vocês e nem a Agatha iriam querer saber a tradução do que ela falou.


Eu sabia que trazer Agatha para casa iria causar uma tremenda fúria na minha mãe, mesmo que ela tivesse, uhm, "permitido". Só não imaginava que ela ficaria TÃO enciumada, porque vamos combinar, eu mau consegui um tempo sozinho com a garota. A vila era um lugar lindo, e eu queria mostrar tantas coisas para ela, e quem disse que minha mãe deixou? Sem falar que quando estávamos em casa, minha mãe sempre me colocava para fazer alguma coisa do outro lado da casa, enquanto Agatha ficava do outro lado do mundo. Depois da manhã de hoje, estranhei que mamãe não tivesse trancado a menina no quarto e jogado a chave fora. E ela também não havia me trancado no banheiro e colocado um dragão para proteger a porta, então acho que ela está começando a aceitar a ideia do namoro.

Foi difícil, mas difícil pra caramba conseguir arrumar o segundo presente da Agatha. Vejam, não era algo que eu podia simplesmente chegar em uma loja e comprar. De acordo com as dicas da Bella, uma pelúcia e atenção seriam bons presentes. A pelúcia eu já havia dado, faltava agora a parte da atenção.
Como mamãe passou o dia inteiro me dando tarefas dispensáveis (como organizar os talheres das quatro gavetas, por exemplo), eu tive que subornar o Apolo para me ajudar com isso, e já que havia sido caro, eu esperava que ele tivesse feito tudo direitinho. Podia ter pago pro Eros fazer isso também, mas eu já havia entregado dinheiro demais pra ele, mais um pouco e eu estaria falido.

Minha mãe sempre saía de tarde para fazer compras na vila. Paguei para Apolo ir com ela e enrolá-la o máximo possível. Acho que ela só foi porque o papai estava em casa, mas meu pai não ligava muito para meu namoro (ao menos, era o que me parecia), e então eu havia conseguido meu tempo. Assim que ela saiu, larguei todas as estatuetas dos doze Olimpianos em cima da lareira e corri buscar a Agatha no quarto dela. Levei a menina para fora de casa, dizendo que tinha uma surpresa para ela.

Guiei a garota pelo jardim e passamos para o bosque ao lado de casa. Confesso que mesmo depois de quase seis anos, entrar naquele bosque me dava calafrios. Mas estava de dia, e a Lua Cheia seria dali a duas semanas, então era seguro. Assim que avistei a árvore, eu dei um passo para trás e me coloquei atrás da Agatha, tampando seus olhos. A menina reclamou, mas eu dei uma risada. Inclinei um pouco minha cabeça para cochichar no ouvido dela.

- Não reclama, faz parte do presente. - eu continuei guiando a menina pelo bosque até a árvore, uma grande oliveira. Não havia neve embaixo dela, então deduzi que Apolo havia feito realmente um bom trabalho.

Contornamos a árvore e quando vi o que Apolo havia feito, deduzi que havia gasto bem o meu dinheiro.
Havia uma toalha vermelha e verde no chão, algumas almofadas macias e vários pratos com lanches e docinhos de piquenique acompanhados de jarras de suco. Apolo havia se superado e arrumado uma pequena vitrola de corda, espera, eu conheço aquilo... Era a vitrola velha do papai, não funcionava há anos, espero que ele tenha arrumado-a, ou vou pedir parte do dinheiro de volta.

- Está pronta? - eu sussurrei de novo, e dei uma risada com a reclamação da garota. Lentamente, eu comecei a tirar minhas mãos dos olhos da menina, enquanto as descia até sua cintura e a abraçava - Não é tão bom quanto ingressos de Quadribol, eu sei. Feliz Natal. - eu disse no ouvido dela, antes dela virar-se de frente para mim. Não deixei que ela falasse nada, porque queria fazer algo que minha mãe estava interrompendo desde que a loira chegou em casa. Coloquei uma mão na nuca de Agatha e a puxei para um beijo. Eu deslizei meus dedos pelo cabelo dela e a abracei enquanto a beijava. Afastei nossos lábios e dei um beijo demorado na testa da menina, abrindo um sorriso em seguida - Espero que esteja com fome. - eu a puxei para cima da toalha e me sentei entre as almofadas. Cara, elas eram mesmo confortáveis.




tagged: Agatha Bittencurt wearing: click here e o polyvore é uma bitch e não me deixou recortar, mas a camisa que ele veste é essa notes: não sei, acho que algo ficou estranho nesse post, mas qualquer coisa, eu edito (:



Última edição por Hades de Mileto em Qui Mar 08, 2012 1:35 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Agatha Bittencurt
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 270
Data de inscrição : 09/10/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 4
Ataque: 4
Defesa: 2

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qui Fev 23, 2012 8:09 pm




a different christmas, 2

I just want you for my own more than you could ever know..

O frio passava dançando mambo e me envolvia numa nuvem de hipotermia a medida que andávamos mais, eu ainda não sabia para onde estava indo, quer dizer, era algum lugar no quintal Hades, ou sei lá, porque eu só via arvore e mais arvore e mato e mais arvore e pedra e galhos e essas coisas. Então ele parou e cobriu meus olhos, se eu estava caindo e quase rolando enquanto estava vendo o caminho, imagine de olhos fechados. Viu, é por que odeio surpresas. Sempre é algo do tipo: SURPREESA, Hogwarts foi invadida! SURPREEESA, seu hamster morreu! SURPRESAA, o bolo te deu intoxicação! SURPRESAA, tem um peixe elétrico querendo te matar! SURPREESA, você vai se enfiar no meio do mato! SURPREESA, você não pode ver nada! SURPREESA! SURPREESA! Não irrita? – Ei, você não pode fazer isso.- tentei puxar as mãos do menino que grudaram nos meu olhos, ele era mais forte - Não reclama, faz parte do presente.
- Por que eu não posso ver? Hades, pra onde você ta me levando? É um ritual sagrado ou algo assim? Vai me sacrificar? Sua mãe vai me sacrificar?- porque era bem provável que isso tenha passado pela cabeça dela. Nota mental: nunca, NUNCA, irrite a mãe de um grego!
Andamos mais um pouco então paramos - Está pronta? – Desde quando saímos, agora tira logo a mão daí. Isso é cheiro de biscoito?- pisquei algumas vezes por causa da claridade, e em meio a riscos, borrões e sei lá o quês vi uma toalha e um mini banquete sobre ela. - Não é tão bom quanto ingressos de Quadribol, eu sei. Feliz Natal. – ingressos pra quadribol são papéis inúteis que te deixam entrar num campo inútil, com pessoas inúteis, se matando no ar pra ganhar pontos inúteis e divertir as pessoas inúteis que usaram os pedaços de papel inúteis. Piqueniques são divertidos por si só, tem comida gostosa e... precisa de mais que isso? – É tão doce...- VIRAM O QUE FIZ AQUI?! VIRAM?! Ok. Minha voz saiu meio falhada sei lá porque diabos então me virei pra encará-lo, vai que ele acha que eu não gostei... dã tem doces ali, meio ilógico achar que eu não gostei né? Mal percebi e ele estava me beijando, como sempre eu senti um arrepio e me agarrei a sua blusa, há Agatha ganhou da mãe super protetora, deal with it.- Acho que eu gostei mais desse presente aqui.- ergui as sobrancelhas e sorri - Espero que esteja com fome. – Olha com quem você está falando. – e também o café parecia não ter descido direito, era macumba de sogra pra comida entalar no meio da garganta e eu morrer asfixiada, certeza. Gente eu preciso parar com essa paranóia de que a mãe dele ta tentando me matar, porque ela não está... né?
Estava tudo bem, tudo tranquilo até eu lembrar de uma pequena conversa com a Rikke sobre o Jef, ela disse que quanto mais eu demorasse pra contar, pior se tornavam as coisas, então vamos lá, estragar o natal feliz. – Eu preciso te contar uma coisa.- bati as mãos cheias de farelo e o encarei séria – Você não pode brigar comigo ok? Quer dizer não vai adiantar muita coisa... Então, lembra de um certo trabalho de astronomia? Feito em duplas... você fez com o Apolo e eu fiz com o Jeffrey.- ele pensou um pouco e assentiu com a cabeça – É que aconteceu.. uma ahm coisa. Não sei como amenizar isso então vai de uma vez, ele me agarrou, Hades.- furacões, vulcões explodindo, trovões, vendavais, maremotos, monstros de gengibre, tempestades de neve, raios, tufões, sinto isso tudo vindo. Tudo começou com ele ficando vermelho, a primeira vez que não era por vergonha, aí ele soltou uma explosão de seja o que for e em seja lá que lingua, igualzinho a mãe dele de manhã. Me apoiei no cotovelo e olhei o ataque, agora entendo o que ele vê de fofo quando estou com raiva. – É claro que eu estou rindo. Posso explicar agora ou você ainda quer xingar mais um pouco?- ele fechou a cara – Primeiro, ele me beijou sim... duas vezes. Segundo, eu não deixei, por que ficam perguntando isso? Se você se sentir melhor, eu dei tapas, atirei livros e provavelmente ele não vai mais ter filhos depois do chute que eu dei.- sem melhoras – Aah, vamos Hades não foi minha culpa, fale comigo! – fiquei de joelhos e o abracei, mas ele não me abraçou de volta, EU NÃO DISSE QUE IA DAR MERDA?! Vou começar a seguir o lema da Ariel, ser sincero nem sempre funciona e é isso aí. – Fale comigo, fale comigo, fale comigo!- ele virou a cara – Então é assim é?- o empurrei pro chão e rolei por cima dele ficando deitada em seu peito – Hades de Mileto, pare de fazer birra e fale comigo! – aleeeeluia, olha só o Hades é safado como os irmãos, espera eu fazer uma coisa dessas pra aí falar - Eu não mereço? E você e aquela Bella, acha que eu gosto?- nem um pouco, só pra constar – A questão não é se você a beija ou não, algo que pro seu próprio bem eu espero que não aconteça! O que eu quero que você entenda é que eu não queria nada com ele. Se eu quisesse, eu estaria aqui na sua casa? Em cima de você? (Agatha, filha, para de falar merda que a mente da player ta virando um lugar mais inapropriado do que já é e.e) No melhor piquenique em que eu já estive? Então para com isso.- dei um beijo na bochecha dele e apoiei o rosto nas mãos – É claro que é o melhor, tudo o que eu faço com você é melhor. Aé, graças a seu ataque fica decretado que só eu posso ter ciúmes aqui, entendido?- até porque eu não sei lidar com isso direito – GORDA?! Eu aqui te bajulando e você me chama de gorda?! Aaah o amor acabou. - dei um tapa nele e me levantei, mano, pode me chamar de tudo, agora me chamar de gorda ou algo do tipo é pedir pra eu pegar uma bazuca e dar um tiro no meio da testa, e o Hades ainda pensa que é um apelido carinhoso ou seja lá o que for, C-O-M-O A-S-S-I-M?! Fui bufando e pisando firme rumando as árvores, mas parei no meio do caminho – Eu não sei voltar pra sua casa...- me sentei novamente, ajeitando a touca na cabeça e cruzando os braços com a cara amarrada – Para, NÃO gosto que me chame assim e você sabe. Eee não vem me abraçar não, saí daqui.- me esquivei do aperto -"Aggie, aggie, aggie". Acho que preciso de mais que isso pra te perdoar...- sorri sapeca e o puxei para mim colando nossos lábios novamente, não sei se eu já falei antes, mas uma das coisas que eu adoro é como ele tem um gostinho de menta, se não o conhecesse acharia que ele vive com uma bala na boca e créc me afastei rapidamente e olhei ao redor – Você ouviu isso ou...- ele arqueou a sobrancelha – Acho que to ficando louca ou sem açúcar no sangue.- procurei mais um pouco e de repente um Apolo ou um Eros doidão apareceu correndo e berrando alguma coisa, eu sabia que não estava louca – Acho que ele ta dizendo algo sobre sua mãe.- cerrei os olhos pra enxergar melhor mas o grito logo em seguida confirmou meu medo. SURPREEESAAA, agora ela vai achar que eu tava pervertendo o filho dela no meio do mato, espera só.


…make my wish come true, all I want for Christmas, is you



# tagged Hades, Perséfone
#clothes olá
#notes Esse é o 1564684 livro da bíblia fideliana, e ta uma merda e.e aaações finalizadas

coded by FLÁ! @ terra de ninguém 2.0 <3


Última edição por Agatha Bittencurt em Seg Abr 09, 2012 3:38 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hades de Mileto
Aluno(a) Grifinória
Aluno(a) Grifinória
avatar

Mensagens : 572
Data de inscrição : 07/12/2010

Ficha do personagem
Agilidade: 2
Ataque: 5
Defesa: 3

MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   Qui Mar 08, 2012 1:42 am




xmas with the girlfriend

Trapped in a lonely body I'm losing control Can't show my emotions And I'm losing my soul Could it be that I'm obsessed with feeding my disease I couldn't make it know the hidden things no one sees Yeah Loser, I'm a secret loser --- post 003




Não tinha certeza se um piquenique de Natal era um bom "presente", mas eu esperava que Agatha gostasse. Só para dar uma melhorada no presente, eu a beijei, porque vamos combinar, eu sou um presente muito melhor do que um piquenique, não? Certo, brincadeira.

- Acho que eu gostei mais desse presente aqui. - eu abri um sorriso e pisquei um olho para ela, e meio que questionei se ela estava com fome – Olha com quem você está falando. - eu dei uma risada, é, devia ter imaginado isso.

Nos sentamos na toalha e começamos com o piquenique. Era um momento bem agradável, apesar de alguns ventos mais gelados, mas tínhamos comida, chocolate quente, música, enfim, estava sendo divertido. Era disso que eu precisava, um momento relaxante com a minha namorada, um momento onde pudéssemos ficar juntos sem ter mil alunos nos olhando e dando risadinha ou professores mandando nos afastarmos. Eu achei que levá-la para a Grécia iria resultar em alguns momentos assim, mas eu não sabia que minha mãe seria tão possessiva como estava sendo. De qualquer forma, aquele era o primeiro momento de santa paz que tínhamos, e eu estava gostando dele.

– Eu preciso te contar uma coisa. - eu arqueei uma sobrancelha e me sentei (é, eu estava deitado, e dai?), enquanto a garota limpava as mãos e me encarava. Agatha estava séria. Ok, problemas a vista.
- Oookay, sou todo ouvidos. - eu virei de frente pra ela, ficando sério também.
– Você não pode brigar comigo ok? Quer dizer não vai adiantar muita coisa... Então, lembra de um certo trabalho de astronomia? Feito em duplas... você fez com o Apolo e eu fiz com o Jeffrey. - eu franzi a testa enquanto pensava, e então me lembrei. Na verdade, eu me lembrava de ter ficado com ciúmes, não da tarefa em si, mas tudo bem, então só concordei com a cabeça – É que aconteceu.. uma ahm coisa. Não sei como amenizar isso então vai de uma vez, ele me agarrou, Hades. - pausa.

Meus olhos arregalaram. Eu senti todo o meu sangue ferver, meus punhos se fecharam e eu senti que poderia arrancar a cabeça daquele loiro maldito sem nem estar na forma de lobisomem. Entendem a situação? Eu não sei se estava com mais raiva do maldito garoto ou da Agatha. Como ela podia ter feito isso? Cara, eu sei que sou chato, irritante e que não sou o melhor namorado do mundo, mas isso? Cacete, mano!

- Mas o que... Xanthiá nóthos gios enós gamóto! Gamóto! Dimosiéftike Tártaro! Tha katastrépsei káthe kommáti aftís tis áthlia gios tou manía! ¹ - eu fechei os olhos, pressionando as têmporas. Normalmente, eu tentava não falar em grego perto dos ingleses, mas olha, puta que pariu, estava difícil. Eu abri os olhos lentamente, e para piorar as coisas, Agatha estava praticamente rindo - Por Zeus, e você ainda acha graça nisso? Vem cá, você não deixou, não é? Porra, o cara te beija e ele ainda está vivo? - eu tentava me acalmar, juro que tentava, mas mano, sentir os chifres crescendo não é exatamente uma situação confortável.
– É claro que eu estou rindo. Posso explicar agora ou você ainda quer xingar mais um pouco? - eu olhei de cara fechada pra ela, um problema grave desses e ela quer fazer piadinha? – Primeiro, ele me beijou sim... duas vezes. Segundo, eu não deixei, por que ficam perguntando isso? Se você se sentir melhor, eu dei tapas, atirei livros e provavelmente ele não vai mais ter filhos depois do chute que eu dei. - eu cruzei os braços. Grande, quem precisa de filhos, ele beijou a MINHA namorada DUAS DEKÁRA² VEZES! E as coisas só melhoram, percebam – Aah, vamos Hades não foi minha culpa, fale comigo! - não, imagina, a culpa não foi sua, afinal, a boca não era a sua, não é? E sim, eu estou respondendo ela mentalmente por que eu não quero mais falar com a Agatha! Ao menos, não agora, enquanto estou nervoso e iria sair muita merda. Eu apertei mais meus braços cruzados e encolhi minhas pernas, desviando totalmente meu olhar do de Agatha, que ficou de joelhos e me abraçou – Fale comigo, fale comigo, fale comigo! - eu virei a cara de novo, não iria falar com ela tão cedo assim. Ainda sentia os chifres latejando – Então é assim é? - eu ainda não respondia, e então a loira me empurrou, rolando pra cima de mim e eu meio que fiquei, uhm, assustado com a ação repentina da menina – Hades de Mileto, pare de fazer birra e fale comigo! - eu arqueei uma sobrancelha, encarando a garota que estava deitada em cima de mim. Ok, eu gosto disso, talvez eu possa falar com ela. Um pouco.
- Nah, não quero falar com você. A senhorita não merece. - eu fechei a cara de novo pra ela, mas digamos que as minhas mãos não estava exatamente me obedecendo, e mesmo que eu estivesse bravo, elas envolveram a cintura da Agatha.
- Eu não mereço? E você e aquela Bella, acha que eu gosto? - eu arqueei uma sobrancelha e tentei não rir. Agora ela quer inverter os papéis?
- Que que tem a Bella? Somos amigos, oras. E eu não saio beijando ela pelos cantos da escola enquanto digo que vou fazer um trabalho. - eu ironizei, essa era boa, como se eu ficasse agarrando a Bella. Por mais bonita que ela fosse, eu não faria isso. Não estando com a Agatha, pelo menos e, ok, Hades, não viaja.
– A questão não é se você a beija ou não, algo que pro seu próprio bem eu espero que não aconteça! O que eu quero que você entenda é que eu não queria nada com ele. Se eu quisesse, eu estaria aqui na sua casa? Em cima de você? No melhor piquenique em que eu já estive? Então para com isso. - ela me deu um beijo na bochecha, mas eu ainda fazia careta pra ela, mesmo que não estivesse mais tão zangado. Não com ela, pelo menos, já Jeffrey, eu ainda iria fazê-lo em pedaços e jogá-lo aos corvos!
- Então esse foi o seu melhor piquenique? - eu tentei mudar de assunto, discutir com ela não iria levar a nada, e eu tinha que lhe dar algum crédito. Acho que Agatha não me contaria isso se estivesse mesmo com a intenção de me trair.
– É claro que é o melhor, tudo o que eu faço com você é melhor. Aé, graças a seu ataque fica decretado que só eu posso ter ciúmes aqui, entendido? - eu mostrei a língua pra ela e abri um sorriso de canto.
- Certo, só minha gorda vai ter ciúmes. - eu brinquei, de gorda Agatha não tinha nada, mas ela ficava nervosa com isso e ela fica tão lindinha nervosinha.
– GORDA?! Eu aqui te bajulando e você me chama de gorda?! Aaah o amor acabou. - ela me deu um tapa e se levantou, eu ainda tinha vontade de rir. Não disse que ela ficava bonita assim?
- Ah, anda, agora quem tá com birra é você. - eu me sentei, encarando Agatha, mas a menina me ignorou e saiu andando. Ok, acho que eu deixei mesmo ela nervosa desta vez. Mas em questão de segundos ela voltou.
– Eu não sei voltar pra sua casa... - eu revirei os olhos e me aproximei dela, passando um braço pelos seus ombros.
- Anda Aggie, não faz drama. Sabe que não te acho gorda. - eu tentei acalmá-la, e depois eu quem tenho ataques.
– Para, NÃO gosto que me chame assim e você sabe. Eee não vem me abraçar não, saí daqui. - a menina tentou se esquivar, mas eu continuava tentando abraçá-la.
- Aggie, para de drama. Era brincadeira, desculpa, vai. - eu fiz uma voz melosa pra ela, ainda tentando impedi-la de fugir do meu abraço.
"Aggie, aggie, aggie". Acho que preciso de mais que isso pra te perdoar... - ela sorriu de um jeito que eu adorava e então me puxou para um beijo.

Não reclamei, é claro. Envolvi a cintura dela e a abracei melhor, aprofundando o beijo. Estava tudo bem, eu sabia, ao menos eu havia me acertado com a Agatha, talvez as coisas demorassem um tanto para serem exatamente como antes, mas talvez valesse a pena, só para ter momentos como aquele. O beijo estava começando a ficar bom de verdade, só que ela o rompeu.

– Você ouviu isso ou... - eu arqueei uma sobrancelha, não tinha ouvido nada não – Acho que to ficando louca ou sem açúcar no sangue. - estava prestes a concordar, quando vi meu irmão correndo na nossa direção e gritando, ok, isso não é um bom sinal – Acho que ele ta dizendo algo sobre sua mãe. - eu engoli em seco.
- Oh-oh. - não tivemos tempo de fazer muita coisa, porque logo mamãe deu seu famoso grito, berrando meu nome - Oh-oh duplo! - e então ela apareceu, vermelha como fogo e eu sentia um longo discurso e um bom castigo chegando.
- Allá ti sto diáolo eínai aftó? Me óloi oi theoí, o Ádis, tha sas steílo tin psychí sas kat 'eftheían sta pedía tis timorías, agóri! Éla tóra í Orkízomai óti oúte i Íra me empodízei apó to na sas kommátia! ³ - eu ajudei Agatha a se levantar, limparia tudo aquilo depois, o mais importante era passar pela minha mãe. E ficar vivo. Bem, no final das contas, foi um meio-feliz Natal, vai.





tagged: Agatha Bittencurt, Persefone de Mileto wearing: click here e o polyvore é uma bitch e não me deixou recortar, mas a camisa que ele veste é essa notes: bobo, bobo, eu sei. ações finalizadas
¹ loiro desgraçado filho de uma maldita! Raios! Enviado do Tártaro! Vou destruir cada pedaço daquele infeliz, filho de uma fúria!
² Malditas
³ Mas o que diabos é isso? Por todos os deuses, Hades, eu vou mandar sua alma direto para os Campos da Punição, garoto! Venha cá agora ou eu juro que nem Hera me impede de te fazer em pedaços!

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A Casa Grega - Residência dos Mileto, Antia - GRÉCIA
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Robert Tales e a Magia Grega Livro 1: A Espada do Olimpo
» Ateh quim fim coloquei Net Na minha casa!!!!
» Mitologia Grega Expert RPG
» Pedido sprites da mitologia: de sátiros, centauros, cyclops, medusa, e outras da mitologia grega.
» [Game Of Thrones] Teste qual a sua casa.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fidelius RPG :: POSTS 6º ANO :: Residência - Mundo Bruxo e Trouxa-
Ir para: